Os novos Sony Xperia XZ3 e XA2Plus vão tentar reconquistar um lugar ao sol. E pelo apresentado, têm todas as hipóteses para apanhar um valente escaldão.


A Sony continua a ser uma das minhas marcas favoritas. Talvez porque me rodeei por Black Tinitrons e Walkmans ao longo de uma vida.

Fui defensor acérrimo (e continuo a sê-lo) do Betamax, tal como do MiniDisc, e da extraordinária DAT.

Comprei tudo o que havia para comprar, desde os primeiros Vaio ao primeiro Walkman Vaio (sim, existiu).

E, logicamente, tenho ainda comigo os primeiros Z ainda Sony, depois passei pela colecção dos Sony-Ericsson e, finalmente, fui um fiel servidor da causa Xperia.

E neste momento de um novo lançamento duplo da marca em Portugal (e no mundo), o que tenho na mão é um smartphone não japonês mas chinês. Que tragédia aconteceu?

Sony apresenta dois novos smartphones em Lisboa
Verónica Pestana, Head of Sales da Sony Mobile em Portugal

Como a Sony deu tiros no pé

A Sony, em pouco mais de uma dúzia de anos, perdeu parte do norte. É uma gigante que actua(va) em quase todos os segmentos e departamentos tecnológicos e, como todas as gigantes, foi difícil passar incólume por duas ou três grandes crises internacionais.

Mas essa é parte da história e do motivo que levou a um crescendo de erros de análise do mercado o que provocou passos em falso.

De década em década vimos desaparecer muito segmento, como os portáteis VAIO, e o que seria bem mais grave, a marca BRAVIA poderia ser vendida, pois ninguém consegue vender bons produtos combatendo os preços da LG e a Samsung.

A Sony conseguiu manter essa honra viva e, numa nota pessoal, ainda bem.

O segmento dos smartphones tem sido duro. Toda a gente sabe que um Xperia é melhor que muitos outros. Que é melhor construído, que é raro ter problemas, etc. e tal. Mas quando chegam à loja encontram outras propostas mais baratas e “mais” avançadas. A escolha é simples.

Uma apresentação dinâmica

Um dos lemas da Sony tem sido aplicar as novas linguagens (tecnológicas ou design, para citar algumas) após essas terem dado provas que são realmente boas e estáveis.

Só a Sony pensa assim! E enquanto faz isso, já a concorrência vai lá muito à frente.

O resultado tem sido catastrófico. E, o pior, é que também é mal ajuizada de vez em vez. O “caso Cristina”, apresentadora de programas populares televisivos, nunca poderia ter sido eleita como embaixadora para um Xperia topo de gama.

E muito menos um cómico que foi a seguinte escolha.

A questão de associar caras ou imagens às marcas pode dar um impulso imediato na notoriedade e nas vendas. Mas existe um lema milenar: “depressa e bem não há quem“.

Os preços associados e desfasados do tempo ajudaram ao fracasso de vendas e à pouca notoriedade que os Xperia têm hoje em dia em Portugal.

Sony apresenta dois novos smartphones em Lisboa
Sony XZ3 e os seus “moods”

A hora da mudança

Mas depois da tempestade vem a bonança!

E os jornalistas foram confrontados com uma nova atitude na apresentação dos dois novos smartphones. Pode ser que o caminho em frente seja bem menos tortuoso e que a Sony seja brindada com a atenção que os seus produtos merecem.

Agora que a prosa vai longa, vamos a eles!

Sony XZ3
Emparelhamento imediato com os novos auscultadores da marca.

Sony Xperia XA2 Plus

Confesso-vos: o smartphone é deveras bonito mantendo ainda alguns traços do design passado (e que eu adoro) da gama Xperia.

Com um imenso ecrã de 6″ com formato 18:9, tem qualidade FHD+, um corpo metálico e vidro muito bonito e elegante e que assenta bem na mão.

Características há muitas, como podem observar na fotografia abaixo, mas as grandes diferenças para o irmão topo de gama são o processador que aqui surge na versão Qualcomm Snapdragon 630, 4 / 32 GB de RAM/ROM, expansível naturalmente através de cartão de memória.

Sony XA2 Plus
Sony XA2 Plus características técnicas

 

Com duas belas câmaras com qualidade mais que suficiente para podermos brilhar enquanto fotógrafos de viagem (principal com 23 MP, Zoom 5x, estabilização e tudo o mais, a câmara frontal tem 8 MP e grande angular para apanhar toooooodos os amigos.

Acima de tudo, e para além do design perceptível e da sua qualidade de construção, o que salta à vista e pode fazer deste XA2 Plus um sério sucesso de vendas é o preço: 399€! Dá que pensar.

Sony Xperia XZ3

Meio ano apenas após o lançamento do XZ2, eis que o sucessor se revela em toda a sua performance.

Ok, antes de mais, porque se “mata” assim um modelo tão recente?

A Sony lá terá as suas razões, entre elas o atraso na implementação de algumas funções e uns quantos erros de concepção. Não é que seja um mau telefone. Foi apenas lançado depois do timing e não conseguiu combater os flashgips concorrentes.

O Xperia XZ3 é um belíssimo telefone e tem factores diferenciadores muito apelativos, embora aqui e ali teime em certos erros que já fazem parte de uma certa forma de estar no mundo (alguma teimosia como a manutenção do sensor ID num espaço pouco comum).

O novo topo de gama apresenta-se totalmente curvo e arredondado. Não há uma aresta, num canto, nada! É orgânico e, ao contrário do antecessor, não escorrega tão facilmente da mão.

Sony apresenta novos Xperia
XZ3 características técnicas

A Sony aposta num ecrã de 6″ OLED QDR + HDR com todas as vantagens e know-how que foi buscar ao banco das TV Oled Bravia.

O resultado na mão é extraordinário, uma qualidade de imagem que entusiasma, principalmente se optarmos por ligar o sistema de vibração dinâmica (uma espécie de caixa de ressonância).

Esta faz com que o smartphone vibre o que potencia o som que, através de duas novas colunas estéreo e com mais 20% de potência, eclipsam qualquer equipamento adversário e actual que esteja nas prateleiras.

Existem curiosidades interessantes neste XZ3 como o novo UI que faz uso de uma acção denominada Side Sense que utiliza a inteligência artificial para ir aprendendo os nossos gostos.

Este Side Sense acciona por toque lateral nas duas margens do corpo dianteiro para fazer surgir um sub menu lateral, muito à imagem do que a Samsung oferece com o seu side screen.

Merece alguma habituação, pois é diferente e obriga a um certo toque com uma certa força, mas é daquele tipo de coisas que gosto num telefone de topo e que me abre o sorriso.

As câmaras da Sony são sobejamente conhecidas.

No XZ3 temos como principal uma unidade de 19 MP com Motion Eye e a frontal é a unidade de 13 MP que já tem um par e anos e foi “rebuscada”. Ambas gravam vídeo em 4K HDR, e podemos brilhar com o Super Slow Motion a 960FPS em Full HD.

Para brincar aos avatares, a Sony está muito à frente da concorrência com o 3D Creator que agora até facilita acções com expressões faciais. Sim, mete um bocado de medo tipo Chucky.

 

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Analista ao volante do novo Mercedes Classe A

Análises – reviews

Breves

Siga o Xá das 5, um blogue de João Gata