DSC_0806

Estamos em época de mais uma “green season”, com muitas e boas iniciativas, algumas particulares outras empresariais, que emprestam ao mundo alguma noção de futuro.

É bem verdade, preocupo-me com o futuro deste planeta, e todos nós, quanto mais informados em termos globais, mais tememos que as piores conjecturas sejam uma realidade em poucas décadas.

Há que dar a mão às empresas que têm programas sustentáveis e que apostam na tecnologia para evitar esse negro futuro e, uma delas, é a Panasonic que tem um papel preponderante nesta acção/reacção.

E que bom que é atender a porta de manhã bem cedo com uma entrega invulgar. Aconteceu hoje com a entrega de uma lâmpada sustentável, uma aposta muito séria da marca nipónica na eco-inovação, termo que se auto-explica.

pana

De facto, a Panasonic continua a garantir que os processos de fabrico e produtos finais de consumo tenham um impacto mínimo sobre o meio ambiente e está a desenvolver novas tecnologias energéticas que dêem lugar a uma sociedade mais sustentável onde desde o televisor até à simples lâmpada tudo é pensado e desenvolvido com base em políticas de sustentabilidade ambientais.

Deixo-vos com o comunicado oficial que merece leitura aprofundada.

Desde 2010 que a Panasonic pretende converter-se na primeira empresa em inovação “verde” do sector da electrónica de consumo para o ano 2018, quando se cumprem 100 anos desde a sua fundação.

Através daquele que se designa o “Green Plan 2018”, que funciona como guia para alcançar os objetivos definidos em matéria ambiental, a empresa quer posicionar-se como líder nos rankings de sustentabilidade empresarial.

Entre os objetivos da empresa destacam-se: a redução das emissões de CO2 de mais de 10.000 toneladas através dos seus centros de fabrico europeus; conseguir uma taxa de reciclagem de 99% nos centros de produção europeus e uma redução de 5% na quantidade de resíduos gerados no ato da produção.

Respeitante aos produtos, a Panasonic prevê classificar mais de 80% dos seus modelos etiquetados, dentro das primeiras classes de eficiência energética no mercado.

 

A aposta da Panasonic na “eco inovação”

Grande parte dos 6,6% de faturação que a Panasonic destina a I+D é dirigida a “eco inovação”, que varia desde a aplicação de medidas de eficiência energética em todos os produtos da companhia, até projetos principais no âmbito da sustentabilidade.

A Panasonic conta com projetos de referência mundial, como é a Fujisawa Sustainable Smart Town (Fujisawa SST), uma cidade sustentável nos arredores de Tóquio que utiliza sistemas de energia inteligentes, ou como a casa “Smart Eco”, que parte da premissa de respeito ao meio ambiente e da emissão de gases de efeito de estufa.

O projeto da Smart Town de Fujisawa conta com um orçamento de 590 milhões de euros que transformará o espaço da antiga fábrica da Panasonic numa cidade verde. No total são 19 hectares onde se construirá cerca de 1.000 casas, todas elas com sistemas de poupança energética, até ao final de 2018.

A Panasonic é também um dos quatro players envolvidos na criação do conceito de Skolkovo Smart City, a maior cidade sustentável da Europa que estará localizada a 20 quilómetros de Moscovo (Rússia).

 

 

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts