A marca apresentou em Lisboa toda a estratégia para enfrentar a guerra comercial com a falta da Google, e referiu um número mágico: o SEIS

“Ainda agora o jogo começou!”

Foi com esta frase que Tiago Flores apresentou aos jornalistas convidados os caminhos e as novidades para 2020, dividindo-os em duas partes distintas.

Huawei 2020
Tiago Flores

A primeira para dar o panorama como a marca continua a construir propostas de valor ao continuar a evoluir tecnologia relevante para o consumidor.

A segunda, e a mais interessante para o mercado, a estratégia em hardware e software para os próximos tempos, para além da apresentação de novos produtos e equipamentos.

A Huawei continuou a crescer em 2019, mesmo enfrentando um difícil panorama e uma guerra comercial contra os EUA.
Mesmo assim, está apostada em trazer o melhor que a tecnologia tem e vai continuar a apostar fortemente na evolução do hardware, como é o exemplo do novo chipset, numa renovada gama de notebooks e, logicamente, no que se passa com os smartphones.

Inteligência artificial conectada ao 5G

Tiago Flores continuou a apresentação mostrando um slide com uma nova roda de alimentos que, neste caso, foram substituídos por devices tecnológicos.

Nela, reparamos que todos os equipamentos gravitam em redor do smartphone, passando este a ser o coração de toda uma gama de equipamentos que, nos próximos anos, vão ser determinantes para a marca Huawei que quer reforçar e validar o reconhecimentodo consumidor final.

A integração do smartphone com o PC é, a partir de agora, muito fácil, mais segura e rápida. Performance e interacção são a grande aposta da Huawei, com forte desenvolvimento no próprio EMUI.

Huawei 2020
Huawei 2020

O terceiro grande pilar da estratégia presente e futura são os Huawei Mobile Service, um software cada vez mais optimizado e correctamente construído para o hardware existente e a existir.

Através do HMS e da App Gallery, a marca vai fornecer aos developers os códigos e o software para eles próprios conseguirem ir mais longe na evolução dos parâmetros para as suas experiências que se pretendem mais avançadas para as suas aplicações.

Com software optimizado, com kits e melhores funcionalidades, a Huawei deseja, desta forma, conseguir uma melhor experiência e fatia de mercado que responda às necessidades do consumidor.

Huawei 2020
Huawei 2020

Existe já uma série de serviços que serão reforçados no futuro.

A Huawei não pensa apenas num sistema para o smartphone, pois ao entregar os códigos aos developers, entrega-lhes todo um manancial de possibilidade e criatividade para desenvolvimento de soluções para todos os devices, como os computadores até aos wearables.

Um exemplo: uma aplicação precisa de utilizar a câmara do smartphone. A app a ser produzida é comum a todos os equipamentos, ou seja, será uma experiência para todo um ecossistema, um compromisso para entregar a melhor experiência possível ao consumidor.

A apresentação do ecossistema já foi apresentada em mais de 30 países e a resposta dos developers tem sido muito positiva, Portugal inclusive, onde aconteceu durante a WebSummit.

Isto está a acontecer muito rapidamente (números no slide)

“Em apenas 5 meses conseguimos entregar 24 kits para os developers trabalharem e publicarem os resultados na loja Huawei para depois serem distribuídas pelos consumidores”, concluiu Flores nesta parte da apresentação.

Huawei 2020
Huawei 2020

1.3 milhões de developers e 55 mil aplicações já disponíveis na App Gallery

A Huawei vai continuar a investir fortemente em hardware e software e muito provavelmente, durante 2020, será a empresa que mais investe no sector, já com mais de mil engenheiros a trabalhar afincadamente em todo o processo.

A marca vai também disponibilizar futuramente toda uma nova família de kits, integrando mais deep knowledge, para os developers conseguirem criar mais e melhores cenários.

O status da loja, a App Gallery, tem actualmente 390 milhões de active users e está disponível em mais de 170 países.

Huawei 2020
Huawei 2020

Mas… e o futuro sem Google?

Muito se tem especulado sobre o futuro mobile da Huawei, principalmente a partir do final de 2020 com o 5G, e a pergunta é válida: como será o futuro?
A Huawei fez um estudo e chegou à conclusão que, globalmente, e com a introdução do 5G, vamos ter seis devices por pessoa, em média e no mundo, no final do corrente ano.

Ou seja, 10 biliões de equipamentos conectáveis que chegarão aos 16 biliões em 2023.

O objectivo, enquanto fabricante, é oferecer ao consumidor a melhor das experiências conectadas e conectáveis, e é este o grande desafio para os consumidores neste presente futuro.

Quem conseguir criar a melhor experiência cross-devices, vai conseguir ter um papel importante nos próximos tempos.

Huawei 2020
Huawei 2020

Roda de tecnologia / alimentos

A Huawei vai produzir, por si, a segunda roda: PCs, Audio, Tablets, Televisores, smartphones, Speakers inteligentes, óculos, Watch e, numa parte mais empresarial, aposta no segmento M2M (machine 2 machine) para além dos carros conectados com equipamentos da marca.

Huawei Share

Com o Huawei Share, cada vez mais avançado, a integração é quase perfeita, o que vai oferecer ao consumidor uma plena experiência integrada com os seus seis devices.

Na última roda, a Huawei tem uma perspectiva diferente em relação ao modelo de negócio. Na China esta roda já está muito completa, pois fornecem o chipset e o iLink para integração de equipamentos de outras marcas com gestão através de uma única aplicação.

Ou seja, existe aposta em Open Source para outros fabricantes e software.

E é aqui que a Huawei acredita que, com o sistema completamente aberto, pode ultrapassar os grandes desafios que se avizinham e adivinham para os próximos anos.

A marca gostaria que tudo fosse mais rápido, e os equipamentos actuais que gravitam à volta do smartphone, vão começar a incluir processadores com capacidade para mais funcionalidades, maior autonomia e melhor performance.

O processador neural Kirin A1 vai marcar presença, progressivamente, na gama de equipamentos conectados da marca, o que possibilitará uma melhor plataforma para o consumidor com  multiplicidade de funções e total integração.

O novo Emui 10

Disponível com o Android 10, que estará presente em todos os equipamentos recentes, desde o P30 até ao Mate, do ponto de vista estético está optimizado para uma experiência mais fluida, mas e acima de tudo, está pensado para o hardware com uma melhor capacidade de processamento para resultados mais avançados.

Esta é a total integração entre software e hardware com todos os benefícios que isso traz.

Por exemplo, o browser Huawei está optimizado para o Hardware, o que torna a experiência mais rápida e consistente.

Huawei 2020
Huawei 2020

Novos produtos, os computadores de X a D

A Huawei preparou-se para melhorar a proposta de valor com o relançamento de “novos” computadores, o Matebook X, o Matebook e a entrada de gama Matebook D.

A marca quis marcar uma posição durante este interregno ao melhorar as características de toda a gama, com a própria entrada de gama a surgir com bezels mínimos, câmara no teclado, um fingerprint ID realmente útil e rápido no botão power e com integração total com o EMUI 10 com os smartphones da gama.

A partir de 12 de Março, a série D vai estar disponível em 14 e 15”, na cor Space Grey, e com características bastante interessantes. Por exemplo,com baterias mais rápidas e duradouras, carregamento por USB Tipo C e todas as ligações importantes (USB, HDMI)

Os preços com AMD Rizen: 15” R5 a 649€ e R7 a 749€. 14” R5 a 699€ e R7 a 799€.

A Intel marca presença nos modelos X.

Huawei 2020
Huawei 2020

Huawei Share

A lógica da marca passa pela integração sem internet, ou seja, os equipamentos estão ligados de forma supre segura entre hardware e software.

Os melhoramentos sucedem-se a bom ritmo, como o espelho do smartphone em tempo real e sem qualquer atraso, para, por exemplo, conseguir jogar o que temos no telefone através do ecrã de grandes dimensões para uma experiência mais imersiva.

O arrastamento dos ficheiros, tanto documentos como multimédia, é feito por simples toque e cola, de forma muito rápida e intuitiva.

A marca sabe que é um processo on going, mas está convicta que o sistema vai conseguir seduzir o mercado e, portanto, os consumidores.

Honor 5T

Um novo gama média com uma excelente proposta de valor, com tecnologia de ponta com quatro câmaras, 32MP na Selfie e um novo design de ecrã, o primeiro a incluir o “punch”, ou seja, um ligeiro orifício para a câmara frontal.

Está destinado para fotografia, com muitos modos automáticos, e excelentes specs a nível fotográfico.

P30Lite New Edition

Um gama media que aproveita um nome muito conhecido que se vê agora muito melhorado em todos os aspectos, desde 6GB de RAM e 256 de memória interna, por apenas 359€. Câmara frontal com 32MP para uma selfie é também um ponto muito importante para esta gama.

Huawei 2020
Huawei 2020

Wearables

Novos Freebuds com chipset A1 Kirin e uma cor muito glamorosa, o vermelho, especial para o dia dos namorados.

O primeiro equipamento in-ear com noise cancelling está assim mais apelativo e aponta a seta ao coração mais romântico. 179€ é o preço do amor.

O Watch Elite com bracelete em metal, já disponível em Portugal, mostra também a vitalidade da marca e da sua proposta única com duas semanas de bateria. Custa 379€.

O caminho está traçado, o optimismo reina, vamos espefrar pela reacção do mercado para saber, até que ponto, a estratégia da Huawei é a mais correcta para este difícil teste onde foi embrulhada numa guerra comercial entre as duas maiores economias do planeta que parece não ter fim.

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *