Ensaio ao ACER ASPIRE S3
A NOVA VIDA DO PC PORTÁTIL

Sendo utilizador Apple há bastante tempo, tenho regressado a pouco e pouco ao ambiente Windows e aos mais recentes computadores que são, na maior parte dos casos, excelentes máquinas a preços contidos.
Neste momento sirvo-me dos dois mundos com as vantagens inerentes como, por exemplo, poder trabalhar com o editor video que mais gosto em PC e com o editor de música que mais gosto em Mac.

O mundo é assim, belo, pois posso sempre olhar para a beleza e simplicidade sofisticada do meu MacBook Pro e deixar o peso pesado, também laptop, ao lado do monitor externo lá na secretária.

Num repente, o mercado é inundado pela nova família Ultra Book, ou seja, PCs armados em Macbook Air’s e chegou-me às mãos um dos expoentes nesse campo e na medida 13’3 polegadas, ou seja, apontado directamente para o adversário directo da marca da maçã.

O ACER S3 é muito bonito, leve, pequeno, simples e fácil de operar. Construído numa liga de alumínio e magnésio e com tampa em acabamento escovado, apresenta um teclado tipo chiclete, rápido e preciso (mas apenas para quem tem dedos longos e estreitos) com soluções FN que podem levar a alguns erros, como por exemplo na secção dos cursores/volume. Mas entende-se… todos os milímetros valem ouro.
Já o touchpad “Elan” é irrepreensível, grande e com acabamento que parece vidro, sem botões físicos e multitoque, agradável e rápido para muitas funções de edição, por exemplo.

O arranque é ultra-rápido e as (poucas) ligações estão colocadas na parte traseira para não afectar o design e, quanto a mim, no local certo. Com um processador i5-2467M e 4 gigas de Ram, o S3 usa um pequeno truque para ser rápido a um preço competitivo: resolveu utilizar um pequeno disco SSD com 20 gigas onde está instalado o sistema operativo, acompanhado por um tradicional de 320 gigas. Assim, o arranque é ultra rápido (a marca aponta 1,5 segundos dos 50 aos 100, ou seja, de standby a pronto a utilizar) 2,5 segundos até podermos navegar na net (Acer Instant Connect) e a tecnologia Green Instant On garante 50 dias em stand by… para quem pensar nisso.

Em termos de som existe um autocolante que todos gostamos: Dolby Home Theater! Mas temos de perceber que um corpo de 1,38 kg ultra fino não é propriamente o indicado para ter duas caixas de ressonância e duas colunas fantásticas. Podemos dar graças pelo som límpido e detalhado, mas para ouvir alto é melhor ligar uns auscultadores.

O ecrã é bom para interiores mas, reflectivo, nao é ideal para outdooro que é uma pena, pois pelo peso dá mesmo vontade de andar sempre com o S3. Não quero com isto dizer que é impraticável, apenas reflecte a luz solar com alguma intensidade, mas dá perfeitamente para trabalhar. Ver filmes é que já não.

As ligações são parcas, apenas duas portas USB 2.0 e uma HDMI, para além dos phones e um leitor de cartões SD. Não há unidade óptica nem Ethernet. Mas o wireless 802.11n é competente e rápido e a possibilidade Bluetooth 4.0 permite ligação a vários acessórios, desde smartphones a ratos.

Dependendo da utilização, a bateria pode chegar a quase seis horas, mas com cuidado e quase tudo desligado e em fase poupança. Com video, wireless e bluetooth ligado, chega às duas.

Conclusão

Fiquei rendido a este ultrabook e numa rápida visita a uma loja de consumo, pude apreciar os acabamentos e materiais dos concorrentes da Asus, Toshiba e Sony.  O S3 passa despercebido ao lado do Zenbook da Asus, o mais elegante de todos, mas convida a uma análise e isso, em termos de design, já é um ponto a favor.

É muito leve e prático, ideal para transportarmos numa qualquer sacola e com bateria suficiente para umas horas de esplanada.
Outro ponto a favor é o bem pensado fluxo de ar quente e o seu novo dissipador que realmente faz com que o S3 não aqueça como os concorrentes (e neste caso o meu próprio Mac). Para quem utiliza laptops no… lap, este dado é de extrema importância.

Mas o que salta mais à vista e que faz do S3 um must have é o seu PVP: 799 EURO!
É para arrasar qualquer concorrência directa (Asus, Tosh) e indirecta (MacBook Air) e faz com que nos esqueçamos dos pontos menos positivos, como o ecrã reflectivo e a bateria que deveria durar mais tempo.

Quanto às ligações e para um laptop deste género, são as que vão ser normalizadas (repare-se que os novos Mac Pro também já abandonaram a drive óptica) e há sempre replicadores USB e adaptadores. A Ethernet é, contudo, uma falha que não percebo.

Compraria de bom grado este S3 para servir de computador de bolso, viagem, lazer e outdoor. É muito leve e bem construído e tem um processador rápido com Ram a condizer. A solução híbrida SSD/Rígido é bem pensada e faz com que o preço final seja muito, mas mesmo muito simpático.

Uma comparação imagética entre o meu Macbook Pro de 2011 e este Acer S3:

Camila Hoffman

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Breves

Analista ao volante do novo Mercedes Classe A

Siga o Xá das 5, um blogue de João Gata