A Canon teve de se render às mirrorless antes que perdesse definitivamente a guerra para os concorrentes. Será que a EOS R tem o que é preciso?


A Canon tem vindo a perder terreno na batalha do segmento FF (fullframe) para a Sony.

E antes que se faça tarde, decidiu dar um murro na mesa e enfrentar esta tiânica luta… antes que a Nikon “arrepie caminho”.

E hoje mesmo, o mundo assiste ao lançamento de uma nova gama, denominada EOS R, que apresenta a inovadora baioneta RF.

Desta forma, a Canon assume a focagem automática mais rápida do mundo com a capacidade de focar em condições de baixa luz até –6EV.

 

Canon EOSR_EF50mm

EOS R

Construído a partir do zero, o pioneiro Sistema EOS R permite resultados com mais detalhe e riqueza, com níveis incomparáveis de nitidez.

A EOS R é a primeira câmara a incluir uma baioneta RF com uma ligação de 12 pinos, de 54mm de diâmetro e 20mm de distância ao sensor, o que permite maior flexibilidade no design das objectivas.

Através do conjunto de objetivas RF de elevado desempenho, a 35mm full-frame com sensor CMOS de aproximadamente 30.3 milhões de pixels efectivos e o mais recente processador de imagem DIGIC 8, a EOS R permite imagens de elevada qualidade.

Está equipada com Digital Lens Optimizer, que corrige factores tais como aberração óptica, e minimiza o impacto da velocidade do disparo contínuo.

Canon EOS R

AUTOFOCUS ULTRA RÁPIDO

A Canon garante que a EOS R tem o autofocus mais rápido do mundo!

“Gasta” apenas 0.05 segundos para captar objetos em movimento com rapidez e precisão, com disparo contínuo de 8fps (fixed AF) e 5fps com AF tracking.

A EOS R possui Touch and Drag AF (Toque e arraste AF), que possibilita uma selecção intuitiva das impressionantes 5,655 posições AF seleccionáveis – mais do que qualquer outra câmara do seu segmento.

Como a primeira câmara do mundo a permitir a focagem automática com pouca luz até -6 EV, a EOS R é optimizada para disparos em condições de pouca luz graças ao avançado Electronic Viewfinder (EVF), com 3.69 milhões de dots com 100% de cobertura de cena.

A EOS R é uma ferramenta de produção de filmes altamente qualificada fornecendo resultados impressionantes em 4K, com controle total de áudio, visor de ângulo variável e foco manual.

Adicionalmente, os cineastas podem produzir em 10-bits através de HDMI, o que com o Canon Log permite captar imagens de contraste neutro, com até 12 paragens (12-stops) da gama dinâmica com ISO 400, permitindo que a pós-produção realce todas as nuances subtis das cores e os detalhes nas sombras e realces.

Quase todos os controles da câmara EOS são personalizáveis, tornando a sua utilização única e pessoal.

Foi introduzida uma nova característica em todas as objectivas RF: todas terão um Anel de Controle (Control Ring) personalizável, em que os utilizadores poderão ajustar a abertura, velocidade, ISO ou compensação de exposição.

Canon EOS R

OBJECTIVAS

Centrada no sistema EOS R, a Canon construiu uma gama de ferramentas com base nos requisitos dos fotógrafos e cineastas do futuro, enquanto expande os limites da imagem – a EOS R, novas objectivas RF e acessórios que oferecem mais liberdade e possibilidades criativas, para novas e empolgantes jornadas fotográficas.

A nova EF-M de 32mm f / 1.4 STM – uma inovadora objectiva de 32 mm para o Sistema EOS M – e a EF 400 mm f / 2.8L IS III USM e EF 600 mm f / 4L IS III USM, duas super teleobjectivas leves e profissionais, garantem que todos os fotógrafos e cineastas têm acesso às melhores ferramentas possíveis para contar suas histórias.

 

Agora vamos ao que dói mais, o preço:

São 3 699€ para EOS R com RF24-105mm e adaptador EF-EOS R, só o corpo 2 649€.

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Analista ao volante do novo Mercedes Classe A

Análises – reviews

Breves

Siga o Xá das 5, um blogue de João Gata