IMG_0348

Esta minha experiência com o EcoSport teve dois tons: o cinzento e o negro. Falo, obviamente, do temporal que se abateu durante os dias do ensaio e que, curiosamente, trouxeram à tona (repararam na chalaça?) o melhor que este pequeno SUV tem. Mas vamos por partes.

Não sou fã de jipes, 4×4 TT ou Suv’s citadinos. Sou da opinião que este tipo de veículo nem sequer deveria ser permitido numa cidade com trânsito cada vez mais complicado de gerir, mas as modas imperam e esta é uma delas. Por outro lado, já tinha ouvido opiniões de colegas em relação ao EcoSport e percebi que agradava muito mais ao público feminino por uma questão de segurança. A altura ao solo explica este dado. Mas, visualmente, o que poderia começar na bela frente descambou naquela roda gigante colocada no exterior do portão traseiro. E estamos a falar mesmo de um portão.

Se por fora é um carro um pouco estranho, por dentro é o decalque do Ford Fiesta, com aquele design tipicamente americanizado que, para mim, estraga o que é um dos mais cool utilitários do momento. Mas enquanto o Fiesta é bem construído e tem materiais de qualidade, esta versão afasta-se desses pergaminhos, tendo a escolha recaído em plásticos duros e que, sendo este um carro para aventuras, antecipam alguns ruídos parasitas. Mas, com ganas, entrei no EcoSport para experimentar este motor que tanto brado tem dado (e que muito me agradou aquando o ensaio ao Fiesta) antevendo alguma dificuldade de locomoção a baixos regimes, devido ao maior peso e à pior aerodinâmica do pequeno Suv. Enganei-me redondamente!

Este fabuloso motor tricilíndrico com turbo tem 1.0 de cilindrada com uns valentes e estrondosos 125 cavalos, de longe, o melhor ratio neste tipo de motorizações cujos ensaios tenho vindo a publicar durante esta semana (Fiat 500S, Renault Twingo, Peugeot 108 e Fiat Punto TwinAir). E se eles levam o pequeno Fiesta para todo o lado com bastante desenvoltura, conseguem também fazê-lo neste mais abrutalhado EcoSport. E, confesso, não estava à espera disto.

Mas o melhor estava para vir!

IMG_0338

Num repente, cai uma borrasca que alagou Lisboa, como há muito não se via, e que abriu telejornais e muitas conversas de café. Fui apanhado no meio do turbilhão e tive de passar alguns desses novos obstáculos naturais. Confesso que, a medo, entreguei o EcoSport a algumas piscinas que já faziam das suas, com muito automóveis parados e donos desesperados a tentar um reboque. Este Ford, que foi até pensado numa escala global e para países que sofrem geralmente com este tipo de situações, portou-se como se nada fosse. Eram lagos, lagoas, curvas, passeios, relva, tudo feito entre manobras TT para conseguir chegar ao destino. E cheguei. Curiosamente, fui dos únicos que esteve presente nesse evento.IMG_0475

Depois disto, o que se poderá dizer de um mini-Suv que nos garantiu roupa seca e zero problemas? Bom, ok, falta aquilo que vai ser um problema no dia a dia… o portão lá atrás. Se repararem nas fotos, existe um botão no farolim direito que o abre. Mas depois é tudo à base da força braçal. Sim, este portão que transporta a roda sobresselente, pesa e de que maneira. E depois, como colocar as compras do supermercado se um qualquer veículo estacionar atrás sem dar o imenso espaço necessário? E, vos garanto, é o que vai acontecer.

Deixei para último as coisas boas: os bancos são excelentes e o equipamento completo: faróis e limpa para-brisas automáticos, retrovisor interior electrocromático, cruise control, Ford SYNC com AppLink, sensores de estacionamento atrás e jantes de belo efeito com 17 polegadas. Os consumos estão entre o bom e o menos bom: cerca de 4 l em estrada, mas quase 7 em cidade.

Em suma, é diferente, desenrascado, óptimo durante furações, mas não está na linha com o gosto e as exigências europeus. Por outro lado, e devido à aventura que passei, tenho de ser menos duro na pontuação final, pois vivi o que de melhor ele tem para oferecer.

PVP: 20 850 euros

 

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts