Fisicamente semelhante à nova armada Galaxy S20, o A51 é um média gama muito interessante e com um design de topo

Na ressaca e rescaldo do lançamento quádruplo que a Samsung protagonizou em Fevereiro, com a armada S20 e com o Z Flip, é de bom lembrar que todos eles têm preços pouco acessíveis para a maior parte dos consumidores.

Portanto, eis chegada a hora para mostrar que na média gama, a marca também está a renovar e a melhorar a sua oferta.

Samsung A51 review
Samsung A51 review

Equilibrado, jovem e apelativo

No último mês, andei com o novel Samsung Galaxy A51, um smartphone deveras interessante, com um design que se confunde propositadamente com o novo S20, e que tem predicados que o podem ajudar na batalha mais feroz do mercado que é exactamente o segmento de média gama.

A versão que me calhou tem uma traseira num azul claro com um padrão assimétrico que tenta captar as cores do espectro, o que até consegue por vezes, o que lhe empresta um ar de sofisticação.

Samsung A51 review
Samsung A51 4 câmaras

Câmaras e mais câmaras

Mas o que dá nas vistas é o módulo que alberga as câmaras e que são quatro. A principal com 48 megapixel, 12 na ultrawide, 5 na macro e mais 5 para a quarta unidade que serve exclusivamente para desfocagem de fundo. No papel, este conjunto consegue criar grande entusiasmo mas, na vida real, tem dois resultados distintos.

Se por um lado as fotografias durante o dia são de grande qualidade, vibrantes e cheias de pormenor, à noite o A51 não consegue oferecer os resultados expectáveis por tamanha oferta, pelo contrário.

Samsung A51 punch hole

O que até é um pouco estranho, pois a câmara prime tem uma abertura focal de 2.0 que, não sendo perfeita, deveria dar melhor conta de si, e um modo preparado para o efeito, o já afamado Night Mode.

Neste caso, culpo o software que dá mais importância à luz natural, para conseguir cores vívidas e bom contraste, assim como um modo Macro que nos permite focar bem um objecto a curtíssima distância.
Há um optimizador de cenas, com um toque de um dedo, e HDR para um maior punch. Mas é sempre necessária muita luz para belos resultados.

Samsung A51 espectro de luz

Vídeo 4K mas sem estabilizador

Há, contudo, uma nota a reter: é que este A51 grava vídeo com qualidade 4K mas, infelizmente, sem estabilização digital, portanto, cuidado com o que se pretende filmar.

E esta qualidade de gravação é comum na câmara frontal, o que é perfeito para vloguers ou youtubers que usam este tipo de processo e vão agradecer pela inclusão do modo Live Focus, mas o estabilizador Super Steady só funciona com a qualidade standard.

Samsung A51 AMOLED 6,5

Ecrã imersivo e enormeeee…

Mudando para a frente do Galaxy, temos um ecrã Infinity O-Display que nos remete novamente para os irmãos S20, com um pequeno punch hole para a câmara frontal de 32 megapixel, e sensor de impressões digitais sob o ecrã.

É um ecrã AMOLED com 6,5″ de qualidade Full HD Plus que convida a ver vídeos num formato cinematográfico. Pena que só tenha uma coluna mesmo que tenha nível alto mas com pouca presença devido à falta de graves.

Samsung A51 análise

As características

Se o processador é contido e chega a arrastar algumas funções, o que pode ser complicado para quem vem de um topo de gama, há ram e espaço que chegue com 4 gigas e 128 mais cartão de memória na versão que me calhou, mas podemos gastar mais um pouco e escolher o topo de gama com 6GB de RAM.

Outro ponto a favor, principalmente se levarmos em conta a leveza deste A51, é a bateria com, atenção, 4000 mAH com recarregamento rápido com 15 Watts.

Esta capacidade é importante para os gamers e, também a pensar neles, há um modo Game Booster que maximiza a performance tanto quanto pode tendo em conta o processador.

Para quem não liga aos jogos e se foca na segurança, o Galaxy A51 vem equipado com a suíte Knox, ID biométrico e reconhecimento de rosto. Mas atenção, estes dois processos de destravamento podem não ser tão lestos quanto esperamos e o reconhecimento facial é para esquecer durante a noite ou em ambientes mais escuros.

Samsung A51 barra lateral

Funções de topo e outras mais clássicas

Há que mencionar o sub-menu de aba lateral, aplicativo anteriormente só visto nos topos de gama Note e S, que se pode programar e é uma característica quase única no mundo Android (curiosamente a BlackBerry replica-a no fantástico – e última da sua geração – Key2 LE). É verdadeiramente útil depois de um período de adaptação.

Outra grande vantagem é a pequenita ligação 3,5mm para auscultadores com fio, o que é cada vez mais raro e que pode ser um forte argumento de vendas para quem, como eu, gosta de ouvir música com a maior qualidade possível.

Samsung A51 USB C e 3,5mm

Concluindo

Para o preço a que é proposto, o Galaxy A51 enfrenta alguma concorrência de peso que tem tantos ou mais atributos para lhe fazer frente. Mas é um smartphone muito equilibrado com um design de topo e características mais que suficientes para agradar a toda a gente que procura um telefone consistente e moderno.

Principalmente porque já vem equipado com Android 10One UI 2.0.

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *