FujisawaSST038_R

c.i.:

O conselho Fujisawa Sustainable Smart Town (Fujisawa SST), um consórcio liderado pela Panasonic Corporation, acaba de inaugurar a cidade inteligente Fujisawa SST, uma cidade sustentável e com total visão de futuro localizada a 50 quilómetros de Tóquio.

O projecto Fujisawa SST vai estar totalmente finalizado em 2018, altura em que se celebra o centenário da marca Panasonic, representando uma extensão de 19 hectares localizada numa antiga fábrica da companhia. Com um custo total de 60.000 milhões de ienes, a cidade irá contar com uma população de 3000 habitantes que ocuparão as 1000 habitações previstas.

Com instalações que permitem o desenvolvimento sustentável da cidade e da sua comunidade, o projecto abandonou a etapa de construção e alcança um novo cenário no qual a cidade pode crescer a grande escala como um local “verde” e “inteligente” que privilegia um estilo de vida ecológico e saudável para os seus habitantes.

Esta cidade inteligente conta com as últimas tecnologias para criar, armazenar e poupar energia assim como, reduzir o custo energético até 70% nas habitações e 20% nos locais públicos. Este novo modelo de cidade conta também com espaços para facilitar o carregamento dos carros eléctricos, das bicicletas eléctricas e um terreno totalmente favorável para os peões. Para alcançar a redução global das emissões de CO2 em 70% em comparação com os níveis de 1990, para além de conectar a cidade a novas formas de energia sustentável, também se promove a biodiversidade, criando zonas verdes em toda a Fujisawa.

O conceito da Fujisawa SST baseia-se em três estratos distintos, onde a energia, redes de informação, e o estilo de vida das pessoas convergem para criar infraestruturas de uma sociedade ecológica e sustentável. Os equipamentos e os dispositivos de energia para a criação, a economia e o armazenamento estão localizados no primeiro estrato da cidade. Num segundo plano, localiza-se a rede informativa que conecta toda a cidade (acesso aos serviços, à saúde; coordenação da segurança da cidades, etc.). Por último, a estrutura da cidade, retira proveito dos recursos naturais de uma forma sustentável.

A Fujisawa SST Plaza, com 6.453 metros quadrados, é a instalação central da cidade e o símbolo da nova comunidade, que serve de base central de comunicação aos residentes. A praça tem um papel fundamental na promoção do crescimento da cidade através das suas funções de gestão, receção de convidados e o fomento pela vida em comunidade.

 

A Fujisawa SST Management Company é a empresa que gere a cidade e que também está situada na Praça. Juntamente com as empresas associadas, a empresa oferece cinco serviços essenciais: energia, segurança, mobilidade, assim como o cuidado com a saúde e com a comunidade. A empresa também reconhece e gere a informação relacionada com o meio ambiente global, a energia, a segurança para suportar uma vida inteligente e ecológica em Fujisawa.

Para a recepção dos convidados e dos serviços de suporte à comunidade, há várias instalações na Praça que foram concebidas para promover a interacção. Desta forma, existe um espaço de cafetaria e cozinha, onde todos podem relaxar e organizar eventos para fomentar a educação ambiental. Tudo isto acompanhado de uma apresentação que introduz e explica os principais factores atractivos da cidade.

Os serviços localizados no centro da Fujisawa vão mais além. A Praça Lab é um estúdio de alimentos e artesanato que oferece oficinas interactivas para os residentes. A Praça de Mobilidade proporciona meios ecológicos de transporte. Em meados de dezembro, vai ser inaugurado o complexo cultural de 7.694 metros quadrados designado de Shonan T-SITE, no lado sul da Fujisawa SST.

O objectivo é fomentar estilos de vida saudáveis não só nos residentes da cidade, mas também entre as pessoas que vivem nos arredores e visitantes de outros locais.

FSST

A cidade também dispõe de uma zona de vivendas unifamiliares para aqueles que não são proprietários e que estará à venda numa segunda fase. Mediante o uso de serviços para partilhar um carro ecológico e o serviço de aluguer de carros da cidade, os residentes na zona podem deslocar-se sem necessidade de possuir um carro ao mesmo tempo que se reduzem os gastos e o impacto no meio ambiente. Também se estão a levar a cabo os preparativos para proporcionar aos habitantes serviços logísticos relacionados com o meio ambiente.

Ao tratar-se de uma cidade em contínuo desenvolvimento, a Fujisawa SST vai incluir outras iniciativas no futuro. A parte oeste da cidade, actualmente sem uso e que estará finalizada em 2018, vai ser utilizada, em colaboração com empresas associadas, como um local para estudar estilos de vida da próxima geração e das empresas.

A partir da instalação de Car Life Lab, que será inaugurado em Dezembro, os habitantes podem testar veículos eléctricos, e conhecer novas inovações com o objectivo de colocar em prática a mobilidade da nova geração, assim como exposições sobre o espaço do futuro.

Utilizando equipamentos e serviços de vanguarda, o conselho Fujisawa SST pretende ir construindo uma cidade que seja sustentável durante 100 anos.

FSST_2

Os 8 pilares de Fujisawa SST

A Fujisawa SST baseia-se em 8 pilares: energia (que inclui a geração, armazenamento, poupança e gestão), mobilidade, segurança, saúde, portal único comunitário, finanças, gestão de recursos naturais e plataformas de promoção de estilos de vida sustentáveis.

  1. Energia
  • Para a geração de energia: instalação de painéis solares e células de combustível denominadas de ENE FARM, que produzem eletricidade e água quente, mediante a combinação de gás natural (hidrogénio) e ar (oxigénio).
  • Para o armazenamento de energia: baterias elétricas e sistemas de bombas de calor que utilizam o calor disperso no ar para reduzir o consumo de energia.
  • Para a poupança energética: sistemas de iluminação, que detetam a luz exterior e interior em função da procura, e ar condicionados eficientes, com sensores que detetam a presença e atividade das pessoas que se encontram na habitação para se autorregular.
  • Para a gestão de energia: Sistemas de Gestão Energética (SEG), que permitem o uso da energia em função das necessidades e uma gestão racional da energia em casos de emergência.
  1. Mobilidade: espaços para promover o uso de veículos e bicicletas elétricas com o objetivo de reduzir a pegada de carbono do setor dos transportes. As habitações contam com pátios amplos, sem garagem mas com zona de parqueamento automóvel para cada 10 ou 20 casas, de forma a promover o uso partilhado de veículos elétricos.
  1. Segurança: controlo da iluminação mediante sensores e câmaras de vigilância que se ativam com base no fluxo de pessoas e veículos.
  1. Saúde: os serviços de saúde, em coordenação com as administrações, podem solicitar-se através da rede. A cidade tem também instalações e equipamentos
  1. Portal único com todos os serviços da comunidade, para fazer reservas, compras e partilhar informação durante situações de emergência. As lojas incorporarão também painéis solares, células de combustível e baterias de armazenamento.
  1. Finanças: é apoiada a compra de equipamentos e sistemas ambientais por parte de famílias através de empréstimos.
  1. Gestão dos ativos da natureza: organização da cidade em que a natureza e os novos sistemas energéticos não entrem em conflito: criação de um eixo verde que permita a circulação do ar e painéis solares que se integrem na paisagem.
  1. Serviços Club: lugares comunitários onde os cidadãos possam promover e intercambiar formas de vida sustentáveis.

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts