Uma bomba? É o primeiro gravador Bluray 3D do mercado!

 

Este é daqueles equipamentos que deveriam estar presentes em todas as casas pois respondem a tudo tão bem e têm uma qualidade tão fantástica que se torna num verdadeiro investimento a longo prazo.

 

O BWT700 é um leitor Bluray mas é também um GRAVADOR de discos Bluray e ainda um gravador de disco rígido com 320 gigas, um streamer AV e um conversor de imagens 2D em 3D. Tem ainda DLNA, sintonizador duplo para emissões TV em HD, faz chamadas Skype e está equipado com Viera Cast.

Muitas ligações

 

Tudo isto cabe num bloco pequeno e leve, com design muito bem conseguido e cuja porta desce e sobe mecanicamente, deixando descobrir o prato para o disco e as entradas para cartões SD com todas as variantes e ligação USB.

Esta tampa pode ficar sempre aberta, bastando para isso que o façamos manualmente e que até é obrigatório caso lhe liguemos uma pen mais comprida que o normal.

A luz azul central pode ser apagada através do menu e do comando, o que é uma boa notícia, pois é bastante forte e pode atrapalhar o visionamento de um filme.

 

Na parte traseira temos todas as ligações que podemos precisar, como a HDMi (podia haver duas, para ligação à box tv e que pode fazer falta para quem tem amplificadores AV mais antigos que não estão preparados para o sinal 3D), porta Ethernet, antena RF in e out, video composto, audio por RCA e óptico e ainda dois “inenarráveis” Scart (ou Euroconnector) que servirão para fazermos backups de antigas VHS ou Hi8 ou até DVs.

 

Na ficha de produto vem esclarecido que o 700 não tem Wifi embutido, portanto ou o ligamos por ethernet (fácil) ou teremos de adquirir o adaptador LAN da marca. Para quem quer fazer dele o centro nevrálgico de todo o sistema AV, então vale a pena mais esse esforço. Uma outra questão pouco positiva, porque obriga a outro investimento, é a câmara de video por USB, também da marca, e que tem um preço pouco apelativo. Mas é obrigatória para quem deseje efectuar chamadas video através do Skype que já vem incluído nos addons deste Panasonic.

 

Começa a ser obrigatória a referência aos serviços web quando se trata de televisores ou gravadores/leitores vídeo, o que demonstra também que esta realidade veio mesmo para ficar e é uma aposta ganha, principalmente depois do esforço e do investimento de algumas marcas sul coreanas e, logicamente, adversárias das nipónicas onde se inclui a Panasonic. As outrora intocáveis acordaram tarde para esta nova apetência do consumidor mas estão a esforçar-se para chegar e até, em alguns casos, ultrapassar a concorrência supracitada.

 

Este BWT700, uma vez ligado ao nosso fornecedor web, abre outro mundo de linguagens e formatos e possibilita a leitura de quase tudo o que existe à face da terra, como Divx, Divx HD, Mkv, Jpeg, Mp3, WMA, WMV, MPO e, se for através de uma caneta USB, também lê AVCHD.

Já através dos cartões SD, pode reproduzir o mesmo AVCHD e ainda Mpeg-2, Jpeg e MPO.

O gravador BR/HD

 

Uma das grandes vantagens de termos um gravador com disco rígido é a possibilidade de podermos gravar pastas com fotos, músicas e até filmes e criarmos o nosso próprio disco de favoritos, sempre à mão e sem desarrumar prateleiras de Cds, Dvds, Blurays, e PhotoCD (quem se lembra)?

Podemos ainda utilizar o serviço online Gracenote para titular as músicas que ripamos directamente da nossa colecção de Cds físicos.

Percebem agora porque escrevi que este BWT700 pode muito bem vir a ser o centro nevrálgico do nossos sistema AV? E ainda nem toquei no factor “qualidade”.

O disco rígido é generoso e permite imensas horas de gravação, mesmo na qualidade máxima que é a DR. Existem várias para poupar espaço e também o esperado sistema de protecção de cópias. Uma notícia muito boa é, mesmo assim, podermos gravar um disco Bluray com o material que desejamos guardar “para sempre”.

Esta possibilidade implica sempre a discussão do que se pode ou não gravar, do que é ou não ilegal e que infringe os direitos de autor, mas a minha opinião (que ainda por cima é de autor) é que deve existir liberdade para se poder gravar o que já comprámos. Ora se uma emissão TV está a ser paga mensalmente, não vejo porque existe tanto alarido em relação a esta problemática. Bastaria conversar com os fornecedores de serviço e reservar uma pequeníssima percentagem da sua margem de lucro, que é, como todos sabemos, bastante alta.

A gravação em DR chega às 79 horas o que é francamente positivo. Logicamente que para gravarmos uma série ou qualquer outra programação para um disco Bluray, quanto menor for a qualidade final, maior é o espaço/tempo disponível para a gravação. É fazer as contas para conseguir a melhor relação qualidade/espaço.

Para citar um exemplo, ainda há bem pouco tempo estive a passar inúmeras horas de dezenas de cassetes Hi8 para o disco rígido de um modelo antigo com gravador DVD, dos primeiros que surgiram e que custou uns bons mil euros. Está encostado para ali pois não tem HDMi, não tem Ethernet nem LAN nem Smart Tv, nem Skype nem nada. E como a box do serviço triplo grava as emissões tv, ficou sem utilidade. De qualquer forma, o resultado em DVDs gravados e já editados chegou à dezena e meia. Ora esta Panasonic faria o mesmo apenas com UM ÚNICO disco Bluray se gravado na qualidade menos boa, a HM, que consegue espremer 35 horas em HD (o que é mais que suficiente quando a fonte entra através de ligações Scart ou RCA).

Comando e funções

 

Foi neste campo que tive mais dificuldades. O comando tem também teclas para o controlo da tv (por códigos consegue-se as outras marcas) e está bem apresentado. Mas é algo confuso devido à multiplicidade de funções. Nestas coisas já se sabe, quanto mais funções mais complexidade. E ainda gastei algum tempo a tentar memorizar a maior parte da funções directas. Os menus, no entanto, são perceptíveis e imediatos, e chega-se a todo o lado ao fim de uma curva de aprendizagem.

 

E a qualidade

Curiosamente (ou talvez não) tinha montado para ensaio a HX85 (podem ver o ensaio aqui), o último grito tecnológico (para comuns mortais, pois o 4K ainda não é para todos) da Sony que melhorou, e muito, a visualização 3D.

Agora imaginem quando se junta um topo de gama à gama de topo?

Acertaram: é fulminante a qualidade de imagem destas duas máquinas juntas.

 

As cores são extraordinárias e tudo é bem definido. Reparem que a tv em questão é gigantesca e, neste campo, quanto maior a tela mais imperfeições e pixelização e esborramento se percebe, mas neste caso, o BWT700 obrigava-me mesmo a fazer pausas e a levantar-me para chegar cada vez mais perto até ver um por um os pixels bem definidos.

 

Não perdi muito tempo para tentar perceber se este Panasonic é passível de passar a ler mais do que a nossa região, pois os meus melhores DVDs são da Criterion e, por conseguinte, made in EUA o que os torna incompatíveis na Europa. Foi uma pena não ter revisto o “Seven” ou o “Memento” no esplendor do Full HD mesmo “Full”.
Mas lá fiz a experiência com os dois Blurays do costume, o muito mal gravado “The Big Fish” e a extraordinária edição especial de “Blade Runner”.

No caso do filme de Scott, os azuis e a fumarada da cena da entrevista “It’s a test, designed to provoke an emotional response” parecia que estavam dentro da sala.

 

Falta falar dos pretos e dos brancos e neste campo, tudo é perfeitamente definido e sem qualquer tipo de arrasto… pelo menos a olho nú. A imagem é sempre extraordinária mesmo num filme como “A sede do mal” na sua versão DVD bem antiguita e que está bem gasta cá em casa.

3D

 

Confesso que não sou particular fã desta coisa do 3D. Usar óculos é logo um problema e usar outros em cima destes não é muito confortável.

Usei o disco de demonstração da própria Panasonic que tem vários exemplos inclusive em três dimensões e aconteceram vezes que quem estava a ver se entusiasmou.

A profundidade, ou a noção dela, é óptima em muitos casos e não vislumbrei ruidos digitais ou glitches.

 

Som

 

Natural, sem grandes rasgos ou pontos excepcionais. É o que esperamos de uma unidade deste género com funções acumuladas e que ainda assim tem uma dimensão e pesos pequenos.

 

Conclusão

 

É um maquinão! Mesmo! Gostava de ter um e mudava-lhe ali uma ou duas coisas, como a confusão em alguns menus e no comando que demorei a compreender.

Não utilizei a gravação de programas televisivos, não era isso que me interessava pois a box do operador faz isso sem problemas e de forma rápida e eficaz.

Mas usei e abusei do visionamento de filmes porque a “dupla” em questão convidava… exigia que se revisse tudo e mais alguma coisa, houvesse tempo.

Mas depois liguei-o também à minha de… 37 polegadas que é também full HD e tal e a imagem continuou perfeita.

 

É pena não ter wifi incorporado, pois obriga a arrumá-lo próximo do modem e do cabo ethernet, mas está preparado para DLNA, oferece um fabuloso 3D e o Skype em full screen.

O disco rígido é uma mais valia e a gravação para discos Bluray abre hipóteses de reorganização rápida de toda a nossa biblioteca audiovisual.

Por exemplo, e se o tivermos ligados a um amplificador com colunas decentes, basta colocarmos um disco no tray para obtermos uma vida inteira de música. Ou de fotografias.

Nota máxima para a reprodução de Blurays e DVDs de boa condição! Mas, como é lógico, também estavam a ser transmitidos por uma das melhores LCD do mercado.
Mas quem compra um Panasonic BWT700 também não vai comprar um lcd de 37 polegadas.

 

PVP: 749 euro

ensaio por João Gata

 

 

 

Ficha técnica

 

DMR-BWT700

O primeiro gravador Bluray 3D do mercado

Permite copiar os vídeos AVCHD (2D e 3D) para o HDD incorporado

e/ou no Bluray regravável

Gravação em Direct Recording (DR) mantendo a qualidade original

Conversão de DR a HG, HX, HE, HL e HM (HD) para aumentar a

velocidade de cópia

Conversão de 2D a 3D, converte qualquer conteúdo 2D a 3D

3D Effect Controller, adapta o efeito 3D ao gosto de cada utilizador

Acaba o dilema sobre o que ver no mesmo período de tempo

graças à sua multifuncionalidade

Com o duplo sintonizador TDT HD pode ver um canal e gravar

conteúdos de outro ao mesmo tempo e com qualidade Full HD, caso não

disponha de um sintonizador TDT na sua televisão

Conectado a televisores com sintonizador TDT incorporado, permite

gravar 2 canais diferentes de televisão ao mesmo tempo, enquanto se vê

outros conteúdos na TV

HDD 250 GB até 315 horas de gravação em EP mode, 124h em

SD e 62h em HD

DLNA & WIFI Ready

Desfrute os seus conteúdos a partir de qualquer lugar da sua casa, na

sua TV. Navegue nos conteúdos da Internet oferecidos pelo Viera Cast:

Skype, Twitter, vídeos no Youtube, jogos, Picasa… sem cabos.

(adaptador WIFI USB DY-WL10 não incluído).

Fácil utilização

EPG (Guia Electrónico de Programação)

Fácil ligação de dispositivos USB através da porta USB incorporada e

leitura de cartões SD

 

 

 

 

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *