B&R skull 2

Sou fã da Bell & Ross, não há volta a dar. O meu preferido continua a ser o BR 01-93 GMT 24H ou o BR 01-92 Heritage mas gosto tanto de outros que me custa apontar apenas um. É, quanto a mim, uma peça fenomenal em termos de design que conseguiu um lugar próprio, algo muito difícil quando se está limitado a uma forma e a uma função. A máquina é notável e o preço condiz. Alguns mortais têm a sorte de conseguir passear o pulso na companhia de uma jóia com este calibre mas os, posso dizer, imortais (!) podem a partir de agora escolher uma peça francamente diferente. Eis um novo relógio talismã: o BR01 Burning Skull, a mais recente versão da «caveira» que continua a homenagear os paraquedistas da Segunda Guerra Mundial. A grande diferença está na caixa do relógio que é agora totalmente gravada e decorada, tal e qual uma tatuagem.
Em 2009, a Bell & Ross deixou a sua marca ao quebrar os códigos da relojoaria tradicional com o seu primeiro BR 01 «Tête de mort» (caveira). Em 2015, uma surpreendente versão BR 01 SKULL BRONZE vê a luz do dia. Hoje, a já famosa “caveira” da Bell & Ross vive uma nova aventura.

B&R skull
O SIMBOLISMO MILITAR
Cada uma à sua maneira, as coleções BR 01 Skull prestam homenagem à epopeia dos paraquedistas da Segunda Guerra Mundial. Vindas do céu, na madrugada do dia 6 de junho de 1944, as tropas das 82ª e 101ª divisões aerotransportadas norte-americanas desempenharam um papel essencial aquando do desembarque na Normandia.

Estes combatentes de elite usavam com orgulho nos seus fatos de salto uma insígnia em forma de escudo, que exibia um crânio e a seguinte expressão: «Death from Above», tanto para impressionar os adversários como para afastar a má sorte.
Hoje, ainda presente em numerosos equipamentos militares – uniformes, emblemas e aviões, a mítica «Jolly Rogers» aparece a título decorativo como um talismã ou símbolo de rebeldia. E o que há de mais simbólico que uma tatuagem, sobretudo quando evoca uma imagem tão poderosa quanto as chamas do inferno? Nasce assim o BR 01 BURNING SKULL.
O relógio ostenta uma caveira atravessada por ossos em forma de cruz, perfeitamente integrada na forma quadrada da icónica caixa da marca Bell & Ross. Com a cor do aço e enquadrado por um fundo preto, o mostrador em relevo é animado por ponteiros das horas e dos minutos que interpretam outros códigos tradicionais do universo militar: o punhal e o sabre. O aspecto mate do metal e os reflexos acetinados da bracelete em pele de aligátor reforçam a imagem ousada e guerreira do relógio.


ACABAMENTOS DE EXCEPÇÃO

«Cada traço gravado no aço é preenchido manualmente com recurso a um estilete e a tinta-verniz de cor preta, à semelhança de um tatuador a criar uma obra na pele.»

Apesar do seu carácter provocador, a caveira não é o único ornamento específico deste relógio. O conjunto da caixa que contém o mostrador está totalmente gravado e decorado como se de uma tatuagem se tratasse. Tal como os mais audaciosos desenhos feitos na pele, todo o relógio é percorrido por chamas que dançam em todos os sentidos, quer na parte da frente quer na parte de trás, exibindo uma enorme variedade de detalhes em cada superfície e recanto.
Na parte de trás, mesmo as inscrições visíveis no fundo da caixa parecem pertencer a uma verdadeira tatuagem, dando a ideia de que as letras arqueadas acompanham a curvatura do braço. O grafismo rico e vigoroso alude às famosas chamas do inferno e integra vários motivos simbólicos do destino e da morte: um coração, uma rosa, uma foice e uma ampulheta.
Para criar este grafismo, cada traço gravado no aço é preenchido manualmente com recurso a um estilete e a tinta-verniz de cor preta, à semelhança de um tatuador a criar uma obra na pele. Ao longo das operações, sucessivas idas ao forno permitem fixar definitivamente o verniz. Um trabalho demorado e meticuloso, que exige várias horas para terminar cada caixa. No final destas diferentes etapas de criação, o verniz preto realça o grafismo do relógio, criando um jogo de equilíbrios e contrastes entre tons claros e escuros.

O realismo da caveira nesta decoração «tatuagem» é reforçado pela concepção do mostrador em dois níveis, oferecendo uma dimensão de profundidade visual. A caveira é produzida em metal estampado, um processo tradicionalmente utilizado para o fabrico de moedas ou medalhas e que cria, aqui, um verdadeiro relevo. A cor preta com SuperLuminova, que reveste o fundo do mostrador, confere ainda maior destaque à caveira que desafia quem a contempla.


EDIÇÃO LIMITADA DE 500 PEÇAS
PVP: 6.900,00 euros

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts