ENSAIO AO
CASIO XJ-M250
A opinião X5 depois de uns dias a experimentar este projector
Quer comprar um projector de vídeo mas não sabe qual?
Não vá mais longe, é este!
Confesso que nunca fui grande fã de projectores de vídeo, mesmo quando olho fascinado para algumas, poucas, paredes de amigos que apresentam uma enorme, magnífica tela de imagem.
Outra das razões é a pouca praticabilidade e a obrigatória instalação programada ao mais ínfimo pormenor, seja por causa da montagem de um suporte ou dos cabos que vão ligar ao necessário amplificador de som.
De qualquer forma, defendo-os como instrumento precioso e auxiliar de quem dá conferências ou formações e basta ligar a um qualquer computador para obtermos um verdadeiro display multimedia para toda uma sala ou pequeno anfi-teatro.
Existe ainda uma terceira razão que é o preço elevado e a manutenção imprópria para cardíacos que tem o seu calcanhar de Aquiles na famosa troca das lâmpadas que têm pouco tempo de vida útil e custam muito dinheiro.
Quando a Casio me pediu para experimentar um dos seus modelos, nomeadamente o XJ-M250, percebeu o meu desinteresse e, quase que o antecipando, apontou logo ali três razões que, confesso, aguçaram a curiosidade.
1ª razão – brilho
Ao contrário do que é normal, a Casio usa uma tecnologia diferente para a projecção, o sistema híbrido a Laser + Led, que garante um brilho fora de série, uma muito maior duração do sistema (visto que não utiliza as malfadadas lâmpadas) e um ligar/desligar imediato. As anunciadas 3000 ANSI Lúmens são o dobro do normal.
2ª razão – poupança
A vantagem do sistema nota-se no silêncio de utilização evitando aquele ruído de fundo da tradicional ventoinha e de uma eficiência energética que varia entre os 150 watt (sistema eco para uma luz ambiente menos forte) e os 190 watt (sistema intense para uma luz ambiente diurna).
Menos barulho, menos calor, mais brilho, mais poupado. Um sensor de luz automático ajuda ao melhor desempenho e, por várias vezes, esqueci-me que estava a ver um filme através de um projector.
3ª razão – qualidade
A diagonal pode ir das 100” (cerca de 2,5 metros) às 300 (7,6 metros) se tivermos quase 9 metros de espaço entre a parede/tela e o local onde o vamos posicionar.
Uma imagem deste tamanho tem forçosamente de nos deixar siderados e a resolução de 1280×880 com qualidade 720p HD é mais que suficiente.
Contudo pode ainda receber sinais Full HD a 50 e 60 fps e o chip DLP (produzido pela mítica Texas Instruments) tem suporte para 3D, embora não tenha sido possível testar esta funcionalidade.
A olhar para os dados da Casio, temos 3000 ANSI Lúmens (o dobro dos projectores normais) e a garantia de 20 MIL HORAS (se pensarmos que os outros só garantem um décimo deste tempo, temos uma noção bem aproximada do valor real desta solução laser+led) e o brilho não vai decrescendo de qualidade.
A parte superior do corpo apresenta os mais variados comandos tácteis, mas o automatismo (reconhecimento do ângulo) é muito rápido e funciona bastante bem. Temos também a possibilidade de fazer zoom manual e de melhorar a focagem, através de dóis anéis junto à lente. Um útil comando também vem no pacote.
Nas ligações, para ser perfeito, temos de gastar um pouco mais de dinheiro e fazer o upgrade para o modelo 255, que apresenta ligação à net e uma utilíssima porta USB.
O 250 é menos “universal” mas está equipado com a imprescindível porta HDMI, Input video por componentes, um saída RGB, entrada e saída de audio digital, etc.
Conclusão
A casa do Xá sofreu um revirote para se conseguir a maior percentagem de tela na parede, os gatos adoraram ver imagens projectadas por todo o lado, a mulher já queria combinar o projector com o resto da decoração e está a ser difícil despedir-me dele.
Confesso que me deu algum trabalho ir desencantar o amplificador audio e as colunas à pequenita arrecadação (o sistema mini hifi actual é tão moderno com os seus DLNAs e Wifi e Bluetooth mas não tem ligações input para qualquer coisa externa, a não ser uma base própria para iPod) para ter um som condizente com a imensa tela.
A qualidade de imagem é bastante boa, o brilho é realmente a mais valia deste M250 e uma enorme diferença para a concorrência tradicional. Este é um projector que se pode ligar de manhã à noite (20000 horas é muito tempo) e durante o dia não tem problemas em ambiente com a luz ambiente.
Como projector multimedia para efeitos profissionais é também um aliado fantástico, pois o peso não é grande, traz inclusive uma utilíssima sacola de transporte com alça forte, a porta HDMI ou RGB servem como ligação directa a um qualquer computador ou mesmo tablet (ou até smartphone) e o silêncio de funcionamento é uma agradável surpresa.
Uma pequena coluna de som, colocada atrás e ao lado das ligações, até pode ser suficiente para uma apresentação numa sala pequena.
Mas este Casio é mesmo uma fonte para se ver cinema em casa!
Portanto, salas com pipocas, be afraid, be very afraid.
O preço ronda os 1300 + Iva, mas bem pesquisado pode ser encontrado mais em conta.

Camila Hoffman

View all posts

1 comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *