Toshiba prevê 2019 mais rápido, mais eficiente e com mais segurança


c.i.:

A Toshiba Europa olha para 2019 como um ano de grande investimento em tecnologias que permitam às empresas trabalhar com maior mobilidade, a partir de vários locais, de forma eficiente e com segurança.

A tecnologia 5G está prestes a ser lançada.

O aumento de rapidez e capacidade que esta proporciona, comparativamente ao 4G, permite que as empresas consigam trabalhar com mobilidade e de forma remota possibilitando, aos seus colaboradores, um trabalho mais rápido, eficiente e produtivo, e a partir de diferentes localizações.

Esta tecnologia vem também ajudar as empresas a tirar total partido das soluções IoT – uma grande vantagem uma vez que, de acordo com a Ericsson, se prevê que até 2022, 70% das soluções IoT implementadas nas empresas estejam adaptadas para serem utilizadas através dos telemóveis.

Nesse sentido, a Toshiba acredita que, em 2019, se assista a um crescimento de soluções IoT, potenciadas pelo uso do 5G.

No entanto, alerta também para as seguintes questões:

Segurança

Precisamente por se viver um momento particularmente agitado no que respeita ao desenvolvimento das soluções IoT e à proliferação de mass data, a segurança é cada vez mais uma questão prioritária.

Desta forma, estão a ser consideradas novas abordagens que visam melhorar o trabalho que tem sido desenvolvido no que respeita.

A Autenticação Biométrica está, cada vez mais, a ser utilizada como forma de proteger os dados, como complemento ou até mesmo como substituto dos, cada vez mais inseguros, pins e passwords.

Este tipo de autenticação oferece um maior grau de confiança, no que respeita à identidade do utilizador. Cada vez mais as empresas estão a optar por soluções de mobile edge computing, precisamente por permitir optar por soluções de segurança mobile mais robustas.

Mobile edge computing

Em 2019 espera-se que as empresas cheguem a um entendimento relativamente às questões de eficiência e segurança de dados geradas pela difusão do trabalho mobile e pela chegada da IoT às mesmas.

Assim, o mobile edge computing mostra-se cada vez mais influente num variado número de sectores.

Este tipo de soluções vem não só reduzir a pressão na cloud, através do processamento de dados em tempo real, mas vem também desempenhar um papel integral como perímetro de segurança, uma vez que assegura que a comunicação dos dados é traduzida, a nível local, para um protocolo de comunicação, antes de ser enviada para a principal rede da organização.

Com o crescente interesse das empresas em integrar estes elementos em tempo real, à sua infraestrutura mobile, a BI Intelligence, estima que em 2020, 5,6 mil milhões de dispositivos corporativos utilizarão tecnologia edge computing para a recolha e processamento de dados.

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Analista ao volante do novo Mercedes Classe A

Análises – reviews

Breves

Siga o Xá das 5, um blogue de João Gata