Mazda MX-5 RF, o zoom-zoom agora com capota retráctil

O adjectivo imediato que me ocorreu ao volante deste novo MX-5 é "liberdade". Apenas e tão somente.

O adjectivo imediato que me ocorreu ao volante deste novo MX-5 é “liberdade”. Apenas e tão somente.


A Mazda fez o Roadster mais famoso do mundo. Pode chamar-lhe MX-5 ou Miata ou outra coisa qualquer, mas nós só queremos que continue a melhorá-lo a cada geração o que, felizmente, tem vindo a ser uma realidade.

Ontem aconteceu a apresentação ao mercado português da segunda opção desta quarta versão e foi com bastante entusiasmo que me desloquei à cidadela de Cascais para ter um primeiro contacto com o novo MX-5 com Hardtop retráctil composto por três secções, quanto a mim, a melhor das soluções para quem não tem, por exemplo, uma garagem.

Sim, perde-se um pouco aquele factor cool da capota em lona, mas como já tive um pequeno roadster que sofreu alguns acidentes por inveja de alguns ou porque o São Pedro decidiu não ser meigo, tenho mais que uma razão para abraçar um tecto rígido.

Quando a anterior geração do MX-5 optou por uma versão com capota hidráulica fui, imediatamente, um seu fã e gostei bastante da experiência ao volante (podem ler o ensaio aqui). Nesta nova versão, a solução está melhor integrada e o look é arrasador! Não conseguimos ficar indiferentes à passagem deste Zoom-Zoom.

A marca até se deu ao trabalho de pesquisar os títulos da imprensa especializada por esse mundo fora em relação a este já mítico automóvel: “Culto da diversão”, “Espírito roadster”, “Bichinho de estimação”, “Melhor do que nunca”, “Um brinquedo para gente crescida”, “O best-seller entre os roadsters”, “Para ver as estrelas”, “Experiência de condução detox”, “100% prazer”, “Batimento cardíaco”, “O divertimento está de volta”, “O mito está vivo”, etc. etc. etc.

As operações de abertura e fecho fazem-se em 13 segundos e podem ser realizadas a velocidades até aos 10 km/h o que, convenhamos, é difícil de conseguir com um modelo de baixo peso e com  motores bastante agradáveis – SKYACTIV-G 1.5 (131 cv) SKYACTIV-G 2.0 (160 cv) – com caixa de velocidades manual de 6 velocidades, directa e curta SKYACTIV-MT, solução que a Mazda tem adaptado a toda a sua actual gama de modelos.

Existe, contudo, uma novidade: a transmissão automática de 6 velocidades SKYACTIV-AT apenas disponível na motorização mais potente.

Quanto à posição de condução: encaixe perfeito! Quanto ao equipamento disponível: a estrada, as curvas, o cabelo ao vento… Ah, o equipamento! Sim, temos um ecrã grande, os comandos à mão, um interior até muito bonito, mas os nossos olhos estão ali, na estrada, a cada curva, a mão a cair na maneta de mudanças, os cabelos ao vento… Ah, já mencionei isto.

Ficam então com a primeira sensação que é guiar o novo MX-5 numa toada calma, pelas estradas de Cascais ou numa toada desportiva e nos limites, com o meu companheiro de experiência, pelo zigue-zague da estrondosa Penha Longa. Sim, tudo em red line para se ouvir bem o ronronar e o trovão deste pequeno motor mas que tem alma que chegue para uma experiência quase radical.

A conclusão que tirei desta manhã e alguns quilómetros é que o novo MX-5 está, acima de tudo, equilibradíssimo, mesmo que a suspensão seja pouco dura para conferir algum conforto na utilização diária. Bons travões, mesmo a cheirar a novos. Um comportamento desportivo com muita garra, muito agarrado ao asfalto mesmo em situações limite.

Depois é o gozo, puro gozo de andar num carro que sabemos que é só para alguns, mesmo que o preço não seja proibitivo. São, afinal, opções de vida. Ou liberdade.

Fica prometido um ensaio mais longo para vos relatar a experiência com mais conhecimento de causa. Mas a primeira impressão é a que me deu vontade, novamente, em ter um cabriolet.

Completando a oferta da variante de capota de lona, o novo Mazda MX-5 RF apresenta-se ao público nacional em dois níveis de equipamento, Evolve e Excellence.

O nível Evolve pode ser encomendado isoladamente ou com os adicionais Pack Navi (por € 400), Pack High Safety (€ 1.925) e Pack High Tecnology (€ 920), isolados ou conjugados entre si; estes conteúdos estão também disponíveis para as variantes Excellence, aqui podendo-se optar pelo Pack Sport (€ 1.450 no 1.5 e € 1.680 no 2.0), Pack Brown Leather (€ 400) e pela pintura exterior metalizada a duas cores 2 Tone (cor da carroçaria escolhida com tecto preto, por € 500).

Neste último capítulo, o novo Mazda MX-5 RF está disponível numa palete de 7 cores: as 5 cores tradicionais da gama – Branco, Branco Pérola, Preto, Azul Reflex e Cinza Ceramic – e estreia o tom metalizado Machine Grey, de características especiais, tal como o é a muito aplaudida cor de assinatura Vermelho Soul. Os tons metalizados têm um custo extra de € 400, acrescendo € 150 ao processo de encomenda caso o cliente opte pelas duas cores especiais. A opção 2 Tone tem, como se refere acima, um custo de 500 euros.

A nova proposta Retractible Fastback do Mazda MX-5 será comercializada com preços a partir dos € 29.840, na versão Mazda MX-5 RF SKYACTIV-G 1.5 Evolve, evoluindo até aos € 44.425 do Mazda MX-5 RF SKYACTIV-G 2.0 Excellence Navi AT*.

* Valores sem despesas de legalização e transporte; Informações adicionais na documentação em anexo.