Huawei Ascend Mate 7 – ensaio

8 Design
9 Construção
8 Inovação
8 Qualidade
9 Factor X5
8.4

 

 

 

Ascend Mate 7

O badalado Huawei Ascend Mate 7 chegou, finalmente, ao mercado português tendo sido apresentado ontem na Fnac do Colombo, evento a que cheguei atrasado, mas ainda a tempo para encontrar todo o sector atento ao novo topo de gama do fabricante chinês. De salientar que são estas lojas que o vão comercializar em exclusivo e com um brinde, a desejável bracelete TalkBand B1, um pack a que ninguém vai ficar indiferente.

Na verdade, tenho tido uma longa relação com o Mate 7, já desde a IFA de Berlim que ocorreu em Setembro e tenho vindo a experimentá-lo desde então. Confesso que estou francamente em sintonia com este Phablet e tendo a usá-lo muito mais vezes do que pensava que iria acontecer… exactamente pelo seu tamanho. Dou por mim a migrar do Xperia Z2 para o Mate 7 e vice versa, intercalando-os com os outros smarts que chegam para ensaio. Mas uma coisa é certa e já me tinha acontecido aquando a experiência com o Lumia 1520: é muito difícil regressar a ecrãs “clássicos” com dimensões das 4 às 4,5″ depois de se usar um Phablet.

Se seguiram a reportagem em directo no facebook do Xá das 5 aquando o lançamento in loco, sabem que o novo Mate 7 apresenta-se com um super ecrã de 6″ Full HD de 1080 x 1920 píxeis (368 ppp) e protecção Gorilla Glass 3, num design muito apurado cujo corpo tem, na sua parte mais alta, 7,9mm de espessura. Mas existem outros diferenciais: a capa traseira (inamovível) apresenta um sensor de impressão digital para desbloquear o arranque. Este sensor é eficaz e exige-nos um posicionamento certeiro para aceitar a nossa própria impressão. Torna também possível a gravação de cinco impressões digitais que memorizam o imediato bloqueio de algumas funções ou pastas em modo “convidado” ou, mais usual, em modo “filho que gosta de comprar jogos”. Todo este esquema de segurança adicional será também precioso aquando os pagamentos por NFC (aproximação ou toque). E não é por acaso que esse sensor está também mais avançado, também colocado nesta secção, é feito em metal e muito bem incorporado na objectiva fotográfica. A segurança é ainda complementada pelo ARM TrustZone (encriptação de dados) e pela utilização do SecureOS.

Mas não ficamos por aqui nesta questão de segurança activa: podemos escolher o reconhecimento facial, apontando o ecrã para a nossa cara. Convem tirarmos algumas fotografias com e sem luz, com fundo colorido e não, para facilitarmos esta operação. Se entretanto falhar, passa automaticamente para o código numérico ou por conjugação táctil. Este Mate 7 é extraordinário neste aspecto, mas tem um senão: ou escolhemos desbloquear pelo método impressão digital ou pelo reconhecimento facial, ambas não são possíveis simultaneamente. hw_366486-631x328 {focus_keyword} IFA |  Huawei Ascend Mate 7 hw 366486

É um equipamento invulgarmente rápido. O processador octacore HiSilicon Kirin 925 tem uma arquitectura “inteligente”, composta por quatro chipsets A15 de 1.8 GHz e mais quatro chipsets A7 de 1.3 GHz. Dependendo das operações, são activados uns e outros, uns mais outros, uns ou outros, o que melhora a performance e garante uma eficaz e real poupança de energia (a marca fala em 50%) a que não é alheio o facto de termos à disposição uma bateria de 4100 mAh. Por exemplo, quando estamos a ler emails, usamos os chipset A7. Quando estamos a jogar ou a ver vídeos, entra em acção o A15. E para os mais necessitados, existe ainda um processo para conseguir poupar a bateria ao extremo e com isso garantir aquela pequena barra para uma chamada de urgência.

Este Phablet com corpo em metal e interior em alumínio, pesa apenas 185 g. É grande, mas não é pesado. Contudo, precisa de um bolso que o guarde e, para contornar a dificuldade de utilização por mãos mais pequenas, tem alguns truques para poder ser utilizado apenas com uma, como o UI de uma mão. Podemos “empurrar” o teclado virtual para a esquerda ou para a direita, e assim conseguir concentrar as teclas num menor espaço.

 

 

androidpit-ascend-mate-7 {focus_keyword} IFA |  Huawei Ascend Mate 7 androidpit ascend mate 7

Velocidade

A Huawei tem estado presente na nossa vida ao longo dos anos, mesmo que muitos de nós o não saibamos. Basta pensar em antenas, modems, routers e toda essa panóplia de equipamentos que nos ligam ao mundo, para quase todos eles serem um sinónimo da marca. Portanto, não é uma surpresa saber que o Mate 7 está equipado com uma conexão LTE Cat6 que chega aos 300 Mbps de velocidade na transferência de dados, perfeito para uma vida em streaming.

Huawei-Ascend-Mate7-3 {focus_keyword} IFA |  Huawei Ascend Mate 7 Huawei Ascend Mate7 3

Imagem e UI

A objectiva é Sony, logo, uma mais valia. Com 13 MP, sensor BSI e uma abertura f/2.0, é garante qualitativo, mas é a câmara frontal com 5 MP que vai permitir melhores #selfies e #groufies, a fórmula de selfie em grupo com nome patenteado e apresentado no P7. E, garanto-vos, vai ser excepcional para quem é tremendamente social.

Mas é o novo interface visual que apela aos sentidos práticos de utilização. Redesenhado e agora designado por EMUI (Emotion UI), apresenta-se na geração 3.0. Está visualmente mais conseguido e atractivo, não tão “appleiano” quanto o P7, e continua a oferecer a originalidade de podermos optar por um de centenas de temas que mudam (bastante) o ambiente de trabalho (imagens dos folders, apps, fundos, etc). Se não tinha ficado fã no P7, porque o achei demasiado juvenil ou “cupertinesco”, vejo agora uma clara aposta em ambientes mais consentâenos com o target específico deste novo terminal. E é uma mais valia para este Mate 7, pois quem não gosta de mudar de telefone de vez em quando? Agora pode fazê-lo mudando apenas o ambiente.

 

Conclusão

Gosto do conceito, da solução da impressão digital e reconhecimento facial, do EMUI, da rapidez de processos, mas o que me está a fascinar é a vida útil. Quando a Huawei disse que o Mate 7 aguentaria dois dias de trabalho, torci o lábio. Mas aguenta até mais e com utilização complexa, desde jogos, música, bluetooth, dados e wireless sempre ligados, GPS e muitas chamadas. Estes 4100 mAh são extraordinários, principalmente se tivermos em conta que alimentam um belo ecrã de 6″. E podemos ainda forçar a duração, com os modos normal, smart e ultra power saving.

Mas existe ainda um ou outro senão: um smartphone desta dimensão deveria ter duas pequenas colunas frontais para a necessária estereofonia. Neste campo e talvez devido a essa característica, retorno de vez em quando para o Xperia Z2, tão superior em termos sonoros. A pequena coluna do Mate 7 colocada atrás cria alguns problemas quando o colocamos numa mesa ou quando simplesmente tapamos a dita com um dedo.

O EMUI é divertido, dinâmico e cria, realmente, uma utilização personalizada e ao gosto de cada um. Mas é tremendamente difícil, por exemplo, mudar o relógio do widget aquando a mudança de horário. O de sistema, em pequeno e colocado no topo à direita, apresenta a hora real e podemos mudá-la como quisermos. A do EMUI que enche uma maior parte do ecrã, não. Pelo menos, eu não cheguei lá. Curiosamente, quando “puxamos” o relógio, ele surge na hora correcta. Um bug a resolver.

De salientar a qualidade de construção. Não tentei dobrá-lo, mas estou confiante que será difícil. Como Android que é, vem com kitkat 4.4.2 que é totalmente transformado pelo EMUI. Recebe microsim e microSD até 128GB. É um terminal deveras elegante e apelativo. A qualidade de imagem é um dos pontos a favor e as 6″ brilham intensamente. Até a legibilidade é fácil sob a luz do sol.

 

Versões, preços e acessórios

O Huawei Ascend Mate 7 vem em três acabamentos: preto, prata com frente branca e em champanhe dourado, ou seja, obsidian black, moonlight silver e amber gold.

Um dos acessórios que também pude experimentar são os muito interessantes auscultadores com cancelamento de ruído UltimoPower Active Noise Cancelling Earphones que reduzem o ruído externo em 15-30db e, pela primeira vez, têm uma bateria INTERNA que é carregada pelo próprio smartphone. Se for utilizado em qualquer outro equipamento, podemos contar com duas horas de puro som e envolvência.

Existem, como não poderia deixar de ser, uma colecção de capas e outros acessórios específicos. A Huawei sabe bem que não basta ter um bom phablet, também tem de saber vendê-lo. E, na minha opinião, está no caminho certo.

Preço

O Huawei Ascend Mate 7 está a ser comercializado em exclusivo pelas lojas FNAC em Pack com a Huawei Talkband B1.

O PVP do pack é de 549,90€.