Hama Speed, ensaio aos phones wireless e tácteis a preço simpático

8 Design
6 Construção
7 Inovação
6 Qualidade
7 Factor X5
6.8

Tenho uma arrelia com os auscultadores sem fios: os bons são tão caros que custam à volta de um ordenado mínimo nacional. Os médios não têm cancelamento de ruído ou, se o fornecem, não conseguem o milagre do total alheamento do mundo que cada vez está mais ruidoso. E os maus, porque os há, não são uma opção, pois o som é mesmo mauzinho. Contudo, e de vez em quando, surgem equipamentos a que temos de dar uma oportunidade: os Hama Speed fazem parte desse lote.

Ora o que dizer sobre esta nova coqueluche? Está preparada para emparelhamento com quase todas as fontes que pululam por aí, pois tem bluetooth 4.0 que permite aumentar a duração da carga da bateria, pois existe um menor (e real) consumo energético. Está também munida de A2DP que melhora a qualidade de transmissão e AVRCP que possibilita enviar comandos para a fonte, como avançar música e etc. Ora estes comandos encontram-se no painel táctil na concha direita que também reúne os comandos físicos e permite com um rápido toque reproduzir, parar, avançar e retroceder os temas em streaming. O mundo moderno significa que estamos sempre contactáveis e, através de um botão físico, podemos aceder às funções de atendimento, final e rejeição de chamadas e até, pasme-se, fazer um redial da último número. Melhor ainda, podemos gravar comandos de voz para atender e rejeitar chamadas, o que é muito útil quando estamos a meio de um exercício no ginásio ou a caminhar na rua com as mãos ocupadas. Tudo muito simples em termos de configuração, basta carregar no botão e ditar a ordem depois do bip.

Mas vamos ao que interessa e que é a qualidade de som. A primeira experiência que fiz não me seduziu e pensei que, afinal, os Speed eram apenas mais um modelo que prometia muito e não cumpria. Então o que aconteceu? Tenho um televisor nipónico todo xpto, muito smart e tudo o resto, mas que apresenta um defeito: grosso modo, o bluetooth não é compatível com auscultadores! E isto, meus senhores, é trágico para quem, como eu, gosta de ver filmes à noite sem incomodar quem habita a casa (ou o prédio). A solução passou por encomendar um emissor/receptor bluetooth pela net (custou 12€, nas lojas lisboetas nem sequer havia uma opção) que ligo à saída phones do TV para além de ter de sacrificar uma porta USB do mesmo TV. Mas pronto, com este “truque”, consigo finalmente receber a informação áudio enquanto sentado no sofá. O resultado com os Hama é, simplesmente, pouco bom: abafado, sem brilho, sem agudos, sem graves. Fiquei um pouco apreensivo, confesso, mas não esmoreci! Agarrei no Walkman que sempre me acompanha nas análises áudio, um excelso reprodutor de conteúdos Hi-Res Áudio, emparelhei em menos de cinco segundos e…. respirei de alívio. Afinal, estes bonitos Hama Speed têm uma resposta interessante: a música soou bem, com alguma alma, agudos e médios bem definidos e graves com alguma presença, sem no entanto, deslumbrar. Podemos melhorar (ou transformar) o som através de um dos cinco modos de equalização (rock, pop, música clássica, jazz, dance), embora confesse o meu desinteresse nesse tipo de modificação. O sinal da fonte terá sempre de ser o mais puro possível.

Passei para a segunda fase do teste, o conforto de utilização. Sou muito exigente no que respeita a auscultadores. Aliás, sou considerado um “enorme chato” porque é difícil ficar rendido (muito raro abaixo dos 300€) e uma das razões é o conforto. Ou começo a sentir-lhes o peso, ou as orelhas começam a ficar quentes por causa da espuma ou da imitação de pele, ou isto ou aquilo. O que é certo é que os modelos Bluetooth são, por norma, mais pesados que os tradicionais com fio, principalmente se estiverem equipados com sistemas de cancelamento de ruído. Os Hama Speed são uma verdadeira surpresa neste campo, pois aliam um design muito simples ao cancelamento de ruído passivo que, embora não consiga milagres, faz um bom filtro. As almofadas são muito confortáveis e a badana também tem base em espuma revestida, muito mole ao tacto e bastante confortável na utilização. Como são realmente leves, consegue-se uma boa experiência de audição e que pode durar algumas horas. Este teste foi passado com distinção.

Não sou fã de tratamentos lacados, principalmente em plástico, pois são facilmente riscados e um íman para sujidades. Preferia que os Speed fossem mais neutros mesmo nesta cor preta muito elegante. O design é rebatível para os guardarmos mais facilmente e a bandolete é ajustável em altura (não muita). Deixei para último duas características muito interessantes: uma é a possibilidade de podermos conversar através de VoIP, ou seja, usar o Skype e similares. Outra é a ligação USB que, para além, de recarregar a bateria, possibilita ouvir música através do cabo. E isto pode ser mais importante do que se julga, numa altura em que os smartphones começam a ter a má tendência de deixar cair a ligação 3,5mm.

Em suma, gostei dos Hama Speed e são uma proposta muito interessante para a gama de preço onde se incluem.

PVP: 79,99 €.