A Western Digital continua a apostar com determinação neste tipo de soluções físicas, enquanto outra parte do mundo escolhe arquivar os seus documentos em “nuvens” desta ou daquela empresa. Geralmente, abraço as novas tecnologias, mas algo me diz que guardar as minhas músicas, trabalhos, documentos, vídeos na famosa cloud ainda vai dar algumas dores de cabeça. Não digo com isto que é uma má solução, muito pelo contrário (a minha dropbox está à pinha), mas se existir algum problema, ele estará sempre fora do meu controlo. E isso é que me faz ter receio.

Logicamente que as unidades externas, os famosos discos rígidos, também conhecem problemas e quem já não passou por um grande susto? Vivo um neste momento, por exemplo. De qualquer forma, e indo ao “médico” certo, geralmente consegue-se recuperar o que se julgava perdido.

 

Western-Digital-My-Passport-Ultra

 

O My Passport Ultra é uma proposta que enche o olho… e não a mão. Explico: é um disco rígido externo (portanto, com caixa e ligações) tão pequeno e fino que passa por outra coisa. E as pessoas ficam incrédulas quando mostro a minha unidade de ensaio com 500Gb e desconfiam mesmo quando lhes digo que, com a mesma caixa, existe a opção de 1Tb. Depois, outra maravilha, já é USB 3.0 (com ligação mini) e não necessita de estar ligado à corrente para operar.

Vem ainda com uma bolsa em tecido bastante útil para o resguardar de encostos dentro de uma pasta ou mala. É a solução indicada para quem é utilizador de tablets, por exemplo. Mas também é perfeito para utilizar como reprodutor multimedia, ligando-o simplesmente às Tvs ou ao Hifi (se equipados com USB).

 

my-passport-ultra

 

Este ULTRA  tem ainda uma oferta que é o WD SmartWare, todo um pacote de software de acréscimo de ULTRA segurança, ao incriptar esta nossa pequena drive externa com várias funções para diagnóstico e um timer que, se precisarmos, até pode ser programado para apagar todo o conteúdo da mesma (imagine-se se somos apanhados pelo SIS ou pela NSA, nunca se sabe).

Faz também um autosave e backup automático para a nuvem e isto torna-o a modos que… híbrido!

Mas o que importa mesmo neste tipo de equipamento é como se comporta no dia a dia. Esse teste de velocidade faço-o de uma forma muito amadora: gravo uma pasta com um vídeo de 700gb, um disco com 80mb e uma foto de alta resolução. Depois gravo-o para uma pen 2.0 (de marca branca), para um cartão SD (8 de velocidade) e de marca conhecida, e ainda para um disco rígido externo com quase uma década que ainda funciona.
Depois aplico a mesma gravação à unidade de ensaio.

 

DSC_0276

 

Sem vos querer maçar com números e comparativos, fiquei bastante surpreso com a imensa velocidade deste pequenito ULTRA e até o comparei com um externo que tenho da WD que também é USB 3.0 e achei que o ULTRA conseguiu ser mais rápido que o seu irmão com, quiçá, um ano de utilização.
Fui consultar alguns charts que pululam pela net e realmente os dados não enganam: chega-se a mencionar uma velocidade de leitura e gravação de 120Mb por segundo (ATTO) ou 45Mb de leitura e 65Mb de gravação, também por segundo e através do método CDM.

Temos, portanto, uma solução ULTRA portátil que não pesa na mão (135 gramas) nem no… bolso! 99,90 por 500Gb numa caixa deste tipo e reforçada com uma suite de segurança através de software gratuito é um valor realmente muito adequado. E depois tem sempre a imagem e a garantia do fabricante, o que neste tipo de coisas é ainda mais importante. Só fica por escolher a cor das três disponíveis.

 

características:

wdsfMP_Ultra

 

 

.

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Breves

Analista ao volante do novo Mercedes Classe A

Siga o Xá das 5, um blogue de João Gata