Em suma, é um smartphone equilibrado para quem busca uma solução diferente das demais, mas tem pontos a melhorar

image-le-lancement-de-l-aquaris-x5-marque-la-premiere-collaboration-de-bq-avec-cyanogen-2015-2-15785-francemobiles

A espanhola BQ é das mais promissoras novas marcas globais, pois está presente em vários nichos tecnológicos e é das que mais aposta nas novidades disruptivas, como robótica para crianças ou, mais recentemente, a impressão 3D (de que até fiz um ensaio vídeo).

Nos smartphones e tablets, tem vindo a destacar-se por apresentar boas soluções para entrada e média gama, com um design clássico e valores que garantem uma boa relação, senão excelente, em qualidade/preço. Mas há que evoluir para continuar num mercado sempre em mutação e cujos clientes estão cada vez mais exigentes. Portanto, o que fez a BQ? Encontrou na letra X e no número 5 a legenda perfeita para um salto qualitativo fulgurante, o que demonstra a extraordinária importância do Xá das 5!!! Brincadeiras à parte, é uma grande designação para o smartphone que pode mudar o próprio status da marca.

O BQ Aquaris X5 vem com Lollipop 5.1 e apresenta duas enormes novidades: em termos de form factor, é o primeiro BQ construído em alumínio (mantendo a capa plástica na secção traseira) e no que respeita ao software, é o primeiro que aposta no Cyanogen, um sistema baseado em Android mas limpo de todos os UI e livre das inúmeras aplicações que as marcas e os operadores teimam em acumular. Sendo assim, o que temos neste X5? Bom preço com características inovadoras e só presentes em unidades de marcas menos generalistas, tudo concentrado num corpo muito compacto e elegante.

O Aquaris X5 não é uma máquina portentosa, mas ciente que o sistema é bem mais limpo que o normal, a BQ sabe que tudo funciona mais rapidamente, portanto, apostou em apenas 2GB de RAM e 16GB de armazenamento (mais de 4 ocupados com o S.O.). É um smartphone Dual SIM (dois cartões Nano) mas ainda com espaço para um cartão microSD. A câmara principal tem 13MP com sensor Sony IMX214 e dual flash, autofocus e uma abertura de objectiva de f/2.0. A sua unidade frontal de 5MP também com flash e abertura de f/2.0. Ambas gravam vídeo em Full HD e permitem umas aventuras criativas bem interessantes, como gravar em slow motion até 120 fps, em time lapse, gravação a preto e branco ou com o flash fixo ligado como se fosse um projector de luz.

Aquaris-X5-Cyanogen-Edition

Com um ecrã IPS de 5″ HD, tem um processador Qualcomm Snapdragon 412 até 1,4 GHz e uma GPU Qualcomm Adreno 306 até 465 MHz. A bateria de 2900mAh é bastante interessante, tendo em conta o tamanho compacto do X5.

Como parece que vem no manual de instruções do “design 2015”, o X5 apresenta uma única coluna na base, cujas duas grelhas até fazem pensar que o som poderá ser estéreo. Mas não: seguindo a filosofia do iPhone ou dos recentes Huawei, só uma das grelhas emite som. Mas a versão Android “normal” do X5 tem uma “vantagem”: a BQ fala de um sistema 3D do Dolby Atmos com algoritmos que melhoram o processamento do sinal digital para resultar num efeito tridimensional e envolvente. Poderá acontecer um milagre, mas já sabem a minha opinião: duas colunas frontais, o mais afastadas possível, dão sempre melhor som que apenas uma colocada na base ou na traseira. De qualquer forma, terei de tirar teimas quando tiver a oportunidade de experimentar um X5 “normal”.

BQ-Aquaris-X5-Cyanogen-phone-735x400

Mas o que é o Cyanogen?

Trata-se de um sistema operativo baseado em Android que, por isso mesmo, é compatível com todas as aplicações do Google Play. Contudo, permite uma maior personalização da interface para além de disponibilizar funcionalidades extra e dá muito mais importância à privacidade e segurança.

Para seu reforço, apresenta dois serviços bastante práticos e, julgo, muito úteis: o PIN Scramble que altera a ordem dos números expostos no ecrã de forma aleatória, enquanto dedilhamos o nosso código. Isso faz com que qualquer malfeitor que nos estiver a observar, seja induzido em erro ao pensar que a combinação é XPTO porque o ecrã tem sempre o modelo de 1 a 0 e os cálculos lhe saiam furados.

O segundo serviço denomina-se Privacy Guard e permite esconder pastas que ficarão acessíveis apenas ao utilizador. Este serviço também nos oferece um relatório sobre as aplicações que usamos, o que consomem e o que realmente partilham.

Ainda continuando na segurança, que tal ficar a saber de quem realmente é aquele número desconhecido ou privado? Esta “revolução” é possível com o serviço Truecaller!

Existem outras diferenças para o sistema normalizado, como o calendário Boxer que é personalizável, assim como podemos escolher na loja Cyanogen um exclusivo design temático do catálogo disponível (gratuito e pago) e modificar a estética do que vemos no ecrã, inclusive apagar os botões da barra de navegação. Por falar neles, é bem sacada a tecla central com o novo logotipo da BQ. São pormenores que fazem a diferença.

Podemos ainda escolher a cor para o Led de notificações (que não é uma novidade mas que garante um toque pessoal)

BQ-Aquaris-X5-Cyanogen-Edition-launch-price-specs

Resumindo

Vale a pena este X5? Na minha opinião, vale! Tem carisma, é bonito, compacto e apresenta qualidade de construção. O preço está naquela fasquia onde encontramos muita concorrência directa, mas ter a possibilidade de optar por uma versão Cyanogen de uma marca com forte representação no nosso país e, por isso mesmo, com serviço pós venda real, é a diferença que pode fazer pender o braço da balança.

É muito completo no que respeita a normas de comunicação (2G, 3G, 4G LTE, Wi-Fi 802.11 b/g/n, GPS com A-GPS, micro USB v2.0 e Bluetooth), gostei do toque, peso (140 g) e aspecto premium. Em suma, é um smartphone equilibrado para quem busca uma solução diferente das demais, mas tem pontos a melhorar: o processador não é dos mais actuais e a opção por apenas 2GB de RAM pode torná-lo lento devido a tanta camada extra de protecção.

X5a

A BQ oferece uma garantia mista de 5 anos (2 anos de Garantia do Fabricante + 3 anos de Garantia Comercial)

PVP: 240€

 

 

 

 

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Breves

Analista ao volante do novo Mercedes Classe A

Siga o Xá das 5, um blogue de João Gata