soundlink-colour-title

 

A Bose está mais fashion e, devido ao enorme sucesso da Bose SoundLink Mini (ensaio aqui), percebeu que este é o caminho certo para os grandes lucros.

Chegou-me uma preta, talvez visualmente com menos piada, mas, antes de mais nada, tenho de confessar que ainda tenho a Mini na retina e memória. É que gostei francamente dessa pequenita e a Bose, ou qualquer outra marca, terão sempre de estudar bem a matéria para conseguir superar a relação preço/qualidade desse modelo.

SoundLink_Color_1321_8A Color é pequena e leve, embora o design, sem uma pega, obrigue a “agarrá-la” fechando firmemente os dedos. Mas tem uma construção sólida, com um topo aborrachado onde se encontram alojados os botões de função.

Em primeiro lugar, há que emparelhá-la com os nossos equipamentos, que pode ser qualquer um, desde que com ligação bluetooth. Aliás, podem até ser dois em simultâneo, o que criará certamente desentendimentos entre um casal, mas que fará as delícias da malta que leva as playlists para a praia… ou campo… ou quarto. Mas estou a brincar, pois na verdade, os dois equipamentos memorizados só podem emitir ficheiros de forma alternada. Por outro lado, a Color não serve como amplificador 2-vias para conversas telefónicas, pois não tem microfone incorporado.

O corpo em plástico faz com que a Color seja leve (600 g) mesmo “carregando” uma bateria que promete até oito horas de reprodução contínua. Há mais duas coisas boas, a possiilidade de se ligar um telefone ou leitor MP3 através do minijack 3,5mm e, esta sim uma boa notícia, a recarga é feita através de um qualquer cabo USB ao invés da chatice do cabo dedicado e exclusivo, mania que finalmente a Bose deixou cair.

E quanto ao som? É bom e recomenda-se para uma coluna nesta gama de preço, aliás, é mesmo uma opção a considerar. Estamos perante uma solução que corta quase para metade o preço da SoundLink Mini. Mas não podemos caír em tentação e julgá-la contra adversárias de maior porte e melhor construção.

soundlink-color-bltth-speaker-group

O som é límpido e pode ser ouvido alto, sem distorções (claro que dependendo sempre da qualidade do ficheiro). Temos até um bom corpo, com graves que se notam, mas é na gama média que ela brilha. As vozes têm presença e definição. Por vezes senti alguma “histeria” nos agudos, o que me faz concluir que a Bose Mini é boa para Jazz e Pop, mas não ideal para erudita ou rock mais pesado, os “extremos” não se tocam, portanto.

Gostei desta coluna, embora preferisse esperar mais uns meses para amealhar o restante dinheiro para chegar à Mini, pois tem outra qualidade sonora, uma melhor construção e um design muito mais elaborado.

A Color está disponível em cinco cores: Azul, Menta, Vermelho, Preto e Branco.

 

PVP: 139,95 euros

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Breves

Analista ao volante do novo Mercedes Classe A

Siga o Xá das 5, um blogue de João Gata