O sucessor do excelente Gear S3 está melhor, tem mais autonomia e apresenta uma poderosa suite para quem pratica exercício físico

Sendo fã do Samsung Gear S3, um smartphone que para além de bonito faz tudo o que preciso, chegou a hora de equipará-lo com o seu substituto, o novo Samsung Galaxy Watch.

A diferença imediata está na possibilidade de poder escolher entre duas medidas, uma com 42mm e outra de 46mm. A mais pequena tem uma variante dourada e rosa para as senhoras mais tecnológicas mas que, ainda assim, querem exibir algo feminino.

Análise Samsung Galaxy Watch - Xá das 5

O Galaxy Watch funciona tal e qual o seu antecessor. O anel rotativo é uma forma de poder navegar por entre as aplicações, fazendo até um click que se sente e ouve e nos leva para o mundo dos relógios mecânicos, para além de dois botões de função e ecrã táctil.

Quando me perguntam qual é o melhor smartwacth para quem usa Android, respondo frequentemente que é o S3 ou o novo Watch. Mas porque o faço sabendo que o sistema não é Android e sim Tizen que é exclusivo da marca?

A resposta é simples: o S.O. está muito bem feito e é um prazer usá-lo. E, quanto a mim, serve perfeitamente as minhas necessidades, pois avisa-me de todas as chamadas, mensagens, SMS e derivados, notícias através dos títulos que prefiro, a meteorologia, o GPS e os mapas que me levam aos locais, e até me permite usá-lo como leitor de música devido aos 4GB de memória interna.

Análise Samsung Galaxy Watch - Xá das 5

Dick tracy style

Outra função que me dá jeito é poder receber e fazer chamadas através do relógio quando me esqueço do telefone no bolso do casaco ou tenho as mãos ocupadas. E se me perguntarem se a qualidade e o alcance são bons, respondo com uma situação que me é comum: deixar o smartphone na régie de uma sala de espectáculos e atender quem me liga quando estou a montar o palco. É, numa palavra, perfeito.

Análise Samsung Galaxy Watch - Xá das 5
Excelente leitura

A bateria

É neste campo que as diferentes medidas são diferentes: o modelo mais pequeno (270mAh) aguenta bem dois até três dias sem recarregar, tempo que dobra no modelo maior.

Ou seja, se optarmos pelo 46mm (472mAh) conseguimos quase uma semana de ligação. Logicamente que este limite depende da utilização. Se, por exemplo, ouvirmos música através de uns auscultadores bluetooth, lá se vai “o sumo”.

Pena é que a Samsung não tenha aproveitado esta nova geração para criar uma tomada micro USB no próprio smartwatch ou possibilitar o recarregamento por indução. Precisamos de usar sempre o carregador por próprio que está ligado a um cabo microUSB.

42mm VS 46mm

Esta foi a primeira surpresa do comparativo que fiz entre o Gear S3 que uso (com 46mm) e o Galaxy Watch que chegou para análise e que é a medida mais pequena com 42mm.

O modelo mais pequeno tem um ecrã super Amoled de 1,2” enquanto o maior é de 1,3” para o pulso de 46mm (resolução 320×320).

Como homem másculo e muito alfa, sempre gostei de relógios grandes. Mais a mais, tenho o pulso largo, o que facilita essa escolha. Portanto, parti do princípio que não ia gostar deste modelo mais pequeno mas, confesso, enganei-me redondamente.

Análise Samsung Galaxy Watch - Xá das 5

É até mais prático, não se “embrulha” com as mangas dos pullovers e casacos (estamos em pleno inverno) e passa mais despercebido.

Portanto, é mesmo apenas uma questão de gosto ou escolha, para além da capacidade da bateria.

Outro ponto a favor é que o anel rotativo também serve de primeira segurança para o vidro (Corning Gorilla Glass DX+) com um tal de padrão militar.

Análise Samsung Galaxy Watch - Xá das 5
Lado a lado: Gear S3 e Watch

O que mudou?

Acima de tudo, as aplicações de saúde e fitness. É fácil instalarmos toda a nova suite Samsung Health através do smartphone, e quem tem o G3 e pode experimentar o Watch vai perceber que a alteração é profunda para melhor. Mais e melhores sensores são um dos trunfos e, atenção, podemos mergulhar até 50m, o que é louvável.

Estes sensores detectam automaticamente seis de 39 exercícios configurados na app, o que poupa trabalho e tempo. E quem corre não tem tempo a perder…

Por exemplo, o registo do sono é das maiores novidades visto que vem integrado de raiz, o que dá francamente um jeitão para quem tem problemas ao dormir. Pode até ser um precioso ajudante na altura de falar com um médico porque se teme que se sofra de apneia.

Sono, passos, pisos subidos, recordes (o meu foi de 19263 passos e subida de 24 pisos num único dia), resumos semanais, comparativos, nível de stress e calorias ingeridas e gastas. É todo um médico no pulso.

Análise Samsung Galaxy Watch - Xá das 5

A suite está muito bem integrada com o aplicativo no smartphone, onde podemos e devemos ver o que há de novo para poder emparelhar com o Watch.

Contudo, para os runners, a Garmin está uns passos à frente com um tratamento mais eficaz e profundo da nossa actividade física.

As versões

É outra grande diferença para o S3. Desta feita temos duas cores em 42mm, a Midnight Black (em análise) e um Rose Gold muito feminino, e em 46mm surge o binómio prata/preto muito elegante.

Os preços são, naturalmente, diferentes, mas não muito.

As medidas das pulseiras (20 e 22mm) oferecem a possibilidade de trocarmos facilmente a que vem de origem.

Outra diferença, e grande, é o peso: 49g para o mais pequeno e 63g para o maior. E é aqui que se nota a vantagem do modelo 43mm, pois é mais cómodo usá-lo à noite para usar o sensor de actividade de sono.

Não experimentei com o 46mm, mas aviso que com o S3 que é exactamente a mesma medida, torna-se bastante desconfortável esta situação.

Outros atributos

Consegui, numa utilização simples sem notificações, dobrar o tempo de utilização do Watch apenas servindo como… watch, ou seja, para ver as horas e pouco mais.

É um aviso sério para alguns modelos híbridos que estão a chegar ao mercado, mas que apresentam algumas falhas no que respeita à utilização “smart”.

Mesmo com o sistema operativo proprietário da Samsung, o Tizen, é possível a conexão com equipamentos Apple, mas de forma bastante limitada.

Curiosamente, ou talvez não, é descobrir algumas opções extra (como mostradores) se usarmos um Samsung ao invés de outro Android de marca concorrente.

Análise Samsung Galaxy Watch - Xá das 5

Concluindo

A Samsung continua a melhorar o que era bom e este novo Galaxy Watch é actualmente a melhor opção para quem tem Android.

Se existem falhas? Sim. Por exemplo, não estava à espera de ter que recarregá-lo através do sistema próprio. É que nem mesmo com o carregador duplo por indução que tenho à mesa de cabeceira, e que é da marca, serve para isso embora tenha um espaço reservado (porque circular). Talvez no futuro…

Continua também a ser difícil emparelhar o telefone com o relógio. É toda uma dinâmica complexa que leva demasiado tempo. Mas como se faz apenas uma vez…

Mas os prós superam em muito os pontos desfavoráveis.

Análise Samsung Galaxy Watch - Xá das 5

O Galaxy Watch é um excelente companheiro para vários tipos de utilizadores: o geek informático que tem toda a info no pulso, o Dick Tracy que gosta de lhe dizer que “está a caminho”, o homem de negócios que é avisado por todos os lembretes da agenda, para os mais desportistas pois é verdadeiramente completo e, finalmente, para o utilizador que gosta de ter um grande ecrã no bolso e não ter de tirá-lo para ver todas as notificações de minuto a minuto, bastando espreitar para o pulso e interagir com ele. Sim, até se pode escrever SMS…

Ah, e já disse que tem 4GB de espaço para apps e música? É só emparelhá-lo por bluetooth aos ascultadores que damos música ao mundo.

PVP versão 43mm: 310€ / versão 46mm: 330€

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Analista ao volante do novo Mercedes Classe A

Análises – reviews

Breves

Siga o Xá das 5, um blogue de João Gata