A Canon EOS M50 é a nova coqueluche da gama M, de Mirrorless, segmento em que a marca não tem conseguido brilhar. Até agora!


Análise Canon EOS M50

A Canon tem vindo a tentar encontrar uma solução mirroless que faça jus à sua fama enquanto sinónimo de fotografia e pode muito bem ter encontrado o ouro ao fundo do pote na forma desta nova Canon EOS M50.

A luta não tem sido fácil. A sua gama M não tem conseguido conquistar nem os actuais clientes nem os novos mercados.

Naturalmente, esta situação é um problema para a marca

Os sistemas sem espelho têm tomado conta das montras dos retalhistas e também vivido crescente preferência de um consumidor que procura algo bem melhor que um smartphone mas que seja leve e compacto.

Canon EOS M50 análise VoiceBox
Entrada MIC

Enquanto a Canon e a Nikon perdem esta auto-estrada, a Sony, Olympus e Panasonic, para citar as mais sonantes, têm conquistado uma grossa fatia de mercado que, decerto, não irão perder nos tempos vindouros.

A Canon reflectiu: estava na hora de conseguir lançar um modelo M que conseguisse dois milagres: ser bem recebida pelos críticos e analistas e, acima de tudo, corresponder aos desejos e necessidades dos clientes.

A Canon EOS-M50 é, em grande parte, essa câmara!

Vamos ver porquê?

Canon EOS M50 análise VoiceBox

A máquina perfeita para Bloguers ou Tubers?

Em grande parte, sim.

A M50 é muito leve, o corpo é compacto e, mesmo assim, continua a ter fisicamente o visor electrónico OLED EVF centrado e externo, condição sine qua non para muitos fotógrafos.

O ecrã LCD é táctil e multi-ângulo, pois “lança-se” para fora do corpo para ter máxima usabilidade.

Por outro lado, temos acesso a muitos controles físicos, bem enquadrados no corpo mesmo para utilizadores com mãos grandes.

Mas quem faz vídeo quer apostar numa câmara à prova do próximo futuro e isso chama-se gravação em qualidade 4K.

A EOS M50 é a primeira Canon M mirrorless que grava vídeo com esta qualidade! Finalmente!

Mas não se fica por aqui: a marca apostou fortemente e lança um novo processador de imagem DIGIC 8 que transforma esta pequena câmara num “monstro” de potencialidades técnicas.

O DIGIC 8 possibilita, pela primeira vez numa Canon, e para além da gravação 4K, a possibilidade de captar Timelapse em 4K.

Faz também captação de ecrãs com esta mesma qualidade, para além de um conjunto de funcionalidades tecnicamente úteis para quem quer “sacar” o máximo do potencial de uma câmara.

Canon EOS M50 análise VoiceBox

Conectividade e comportamento

Hoje em dia qualquer equipamento tem de estar ligado ao mundo e a EOS M50 tem ligação por Bluetooth, NFC e WiFi, o que lhe garante uma maior utilidade em ambientes controlados ou, por outro lado, passar as fotografias facilmente para um disco externo e libertar o cartão de memória.

Com um ISO máximo a 25,600, reparei imediatamente no grande salto qualitativo em relação às anteriores M.

Em vez de um notório grão e extrema dificuldade de foco, a M50 consegue resultados real e francamente bons.

Até que enfim! Confesso que era uma das minhas maiores dúvidas e, felizmente, fiquei bastante entusiasmado.

Temos ainda nove botões personalizáveis.

Canon EOS M50 análise VoiceBox

O foco de todas as atenções

Um dos principais problemas da gama era, nitidamente, a lentidão na focagem, situação que chegava a ser bizarra pela negativa quando tentávamos tirar uma fotografia em modo automático num ambiente pouco iluminado.

A Canon ouviu as críticas e reagiu com a M50. Em modo automático, podemos contar com a velocidade do Dual Pixel CMOS que é lesto a encontrar o ponto óptimo, e mais eficaz também devido ao ecrã táctil que nos convida a, com o toque do dedo, escolher o foco.

Regresso ao DIGIC 8 que também ajuda, e muito, aos resultados práticos obtidos em modo automático de focagem, com os optimizadores automático de luz e digital da lente, para além da Prioridade aos Tons, como dizer em português… mais destacados.

Os números chegam a impressionar: 99 pontos de foco que, com algumas objectivas, quase duplicam com a utilização de algumas lentes.

Canon EOS M50 análise VoiceBox

Outras dinâmicas

O que importa quando se grava vídeo é o silêncio de toda a operação.

Apraz-me verificar que a M50 até tem um novo modo de silêncio que, realmente, ajuda à acção.

A entrada de microfone, via tomada 3,5mm, é outra das características que atraem quem filma.

Sei bem disso, pois a minha Lumix G5 fica por vezes parada devido à falta dessa ligação.

Muito bom é também poder contar com o estabilizador óptico colocado no corpo (de cinco eixos) o que nos garante poder usar quase todas as objectivas (com ou sem adaptador) do mercado (vintage ou actuais).

Ainda temos uma sapata para um flash externo (ou o microfone) para compor o ramalhete.

Por exemplo, a possibilidade de seguirmos o foco que estamos a fazer com o dedo no ecrã LCD através do visor OLED é francamente útil.

Há, ainda outra novidade: o formato CR3 14-bit RAW que cria ficheiros RAW com a máxima resolução mas poupando cerca de 30 a 40% do tamanho do ficheiro convencional.

Finalmente, espaço para mencionar o sensor CMOS APS-C de 24 MP que garante um nível qualitativo que podem verificar na galeria (em qualidade reduzida) e o disparo contínuo a 10 frames por segundo.

Canon EOS M50 análise VoiceBox

Conclusão

Francamente, gostei muito da nova Canon EOS M50.

É uma câmara que faz sentido em todos os aspectos.

Garante uma qualidade de resultados francamente bons, tanto em vídeo quanto em fotografia.

Tem todas as características que quem faz vídeo deseja num pacote pequeno, compacto, leve mas, acima de tudo, compatível com os milhares de acessórios da marca.

O difícil é mesmo escolher a objectiva se adquirirmos a M50.

É que, para excelentes resultados, convém estar “armado” com a EF-M 15-45mm F3.5-6.3 IS STM e a EF-M 18-150mm f/3.5-6.3 IS STM.

O preço é francamente bom e, por tudo isto, recebe o selo de ouro VOICEBOX.

PVP: 750€

Voicebox selo de ouro
Voicebox selo de ouro

GALERIA

Modos

Cena auto inteligente, Híbrido auto, Assistente criativo, SCN (Autorretrato, Retrato, Corretor de pele, Paisagem, Desporto, Grande plano, Comida, Deslocação horizontal, Cena not. portátil, Contr. contraluz HDR, Modo silencioso), Filtros criativos (P/B granulado, Foco suave, efeito Olho de peixe, efeito Pintura a Água, efeito Câmara de brincar, efeito Miniatura, Arte HDR normal, vívido, negrito e relevo), Programa AE, Prioridade ao obturador AE, Prioridade à abertura AE, Exposição manual, Filme (exposição automática no filme, exposição manual no filme, filme time-lapse)

Canon EOS M50 análise VoiceBox

Estilos de imagem

Auto, Standard, Retrato, Paisagem, Pormenores, Neutro, Fiel, Monocromático, Definido pelo Utilizador (x3)

Espaço de Cores

sRGB e Adobe RGB

Processamento de Imagem

Prioridade tom de destaque (standard e melhorado)
Optimizador de iluminação automático (4 definições)
Redução de ruído de longa exposição
Redução de ruído de velocidade ISO elevado (4 definições + redução de ruído em disparos múltiplos)
Correção de iluminação periférica da objetiva
Correção de aberração cromática
Correção da difração

Auxiliar criativo:
Predefinições
Desfocagem de fundo (5 definições)
Brilho (19 níveis)
Contraste (9 níveis)
Saturação (9 níveis)
Tonalidade de cor 1 e 2 (19 níveis)

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Analista ao volante do novo Mercedes Classe A

Análises – reviews

Breves

Siga o Xá das 5, um blogue de João Gata