Os Asus ROG Strix Fusion 500 têm muitos pontos a favor e alguns contra. O que valem uns auscultadores para gaming com LEDs e som 7.1?


A Asus enviou-me para análise os novos Asus ROG Strix Fusion 500.

Não sou gamer mas todo o meu, como se diz agora, “setup”, faria as delícias de qualquer viciado em adrenalina colorida.

Ele é um poderosíssimo ecrã AOC Agon (ler análise), um muito decente Asus G20 e, até ser recentemente substituído, um rato Gladius: o que têm em comum? Luzes!

De todas as cores, por todo o lado, com ritmos pulsantes ou vibrantes, um completo festival que mais parece uma discoteca.

O resultado é tão chocante que me obriguei a desligar todas, mas mesmo todas as possibilidades. É que, francamente, distraem.

Porque é que explanei tudo isto? Porque a Asus enviou-me os novos auscultadores para análise.
E sim, acertaram! Estes também têm iluminação!

Asus Fusion 500 duas almofadas extra
Asus Fusion 500 duas almofadas extra

Os Asus ROG Strix Fusion 500 (Fusion 500) vêm embalados numa enorme caixa com design premium e cartão reforçado.

Lá dentro temos acesso aos ditos e a mais duas almofadas para substituição, um toque muito cool, para além do cabo USB.

De salientar que este cabo USB (sim, a ligação é por USB) é de grande qualidade e tipo corda para não se enrolar nele próprio.

Antes de retirar os Fusion 500 da caixa pensei que poderiam ser demasiado pesados devido ao enorme corpo e foi com grande surpresa que, ao fazê-lo, percebi-lhes uma leveza que não estava à espera.

Leveza e muito equilíbrio o que, no caso deste modelo, é ainda mais louvável pois sempre senti algum desconforto em auscultadores com microfone integrado.

Esse pequenito maior peso, para além do suporte plástico e mais tecnologia integrada, faz sempre pender o set para o lado onde tudo isso está incluído. E isso, ao fim de algumas horas, começa a perceber-se.

E por falar em horas, estes auscultadores foram pensados para permanecerem na cabeça de quem joga durante muito tempo de cada vez. Sabem uma coisa? São perfeitos!

Passei então a apreciar a qualidade de montagem, por vezes sacrificada em nome do menor peso.

Outra surpresa agradável: estes Fusion 500 estão bem feitos, têm plásticos de qualidade, os encaixes não me sugerem que vão começar a fazer ruídos ou a apertar com menos força depois de alguns meses de utilização. Enfim, durante o tempo que os utilizei, e confesso que para os dias de análise o fiz durante muitas horas, senti-me sempre bem e o material não acusou nenhum desgaste.

Asus ROG Strix Fusion 500
Asus ROG Strix Fusion 500

O Design

Ame-se ou odeie-se, estes Fusion 500 foram desenhados para a malta que gosta de dar nas vistas… nem que seja sentado à frente do PC ou da consola.

São grandes, bem desenhados e as conchas têm uma finalização espelhada com aberturas para dois grandes LED em cada uma.

O Microfone

O microfone está muito bem integrado e é multi-articulado, ou seja, podemos colocá-lo onde muito bem pretendemos e com qualquer ângulo, para cima, baixo ou lados.

Nota máxima para este elemento que tem processamento digital incorporado com o seu próprio algoritmo o que garante a captação de voz de forma muito natural e com filtros capazes de reduzir qualquer distorção repentina que acontece quando, por exemplo, gritamos uma ordem para a equipa.

Um toque precioso é “mutarmos” o som apenas ao virar o micro para cima.

A Tecnologia

Os Fusion 500 têm montado um conversor digital para analógico, ou seja, um DAC ESS 9018 que garante a reprodução sonora a 24bit/96kHz sem qualquer perda (lossless).

O que garante, para além de um alcance dinâmico fabuloso, é a eliminação quase total das distorções mesmo quando o som é francamente alto e grave, com bombos e bordões a soar. Estas frequências mais baixas surgem trabalhadas pelo amplificador 9601.
Upa, upa!

Também há tecnologia via App feita para abrilhantar os LEDs RGB.

Temos de instalar a aplicação da casa AURA Sync que também controla os restantes equipamentos Asus.
Isto permite escolher o tipo de iluminação – estática / respiração / ciclo de cores / música – , a cor e até, pasme-se, o pulsar conforme o som do jogo e sincronizá-lo com mais auscultadores Fusion 500, uma festa portanto!

Total controlo

Na concha esquerda está montado um painel touch com comandos integrados.

Não é nada de original ou extraordinário, mas ajuda a simplificar tarefas como play/pause, passar músicas para a frente ou para trás e aumentar ou diminuir o volume.

Por vezes, o toque não é correspondido imediatamente, obrigando a uma segunda ordem com o dedo.

Por se dever a um ligeiro atraso, aconteceu-me repetir a mesma ordem. A princípio pode ser chato mas é toda uma questão de habituação ao timing do processo.

Asus Fusion 500 painel táctil
Asus Fusion 500 painel táctil aqui com o autocolante que explica os movimentos

Em utilização

É difícil perceber os 7.1 canais de reprodução que a Asus brande como argumento de venda.

Ou se tem realmente jogos que façam uso dessa característica ou todo esse desenvolvimento “narrativo” não é imediato. Percebe-se que os tiros vêm dali ou de acolá, mas confesso que na colecção de jogos que uso para este tipo de análises, não hã um específico que possa fazer-se valer desta característica.

Mas, por outro lado, há que afirmar que a qualidade de reprodução é muito boa, ao nível de grandes auscultadores de marcas com pergaminhos no segmento.

O som é potente, quente, muito dinâmico.

A utilização continua muito confortável ao longo das horas, conseguido através do material (pele sintética e malha de tecido anti-transpiração) com que as almofadas são produzidas, como também pelo desenho das mesmas que acomodam até orelhas grandes como as minhas.

Asus Fusion 500 badana
Asus Fusion 500 badana

Como a badana não é apertada, pelo contrário, tudo se conjuga para que os Fusion 500 passem a ser o melhor amigo de quem vive connosco em casa e, também, dos vizinhos.

Mas porquê, porquê?

Mas existem dois pormenores que fazem com que a Asus não acerte em cheio: trocar a tradicional conectividade por ficha 3.5mm por uma USB faz com que a utilização destes bons auscultadores seja apenas possível com equipamentos que suportem USB.

Adeus leitores MP4, adeus smartphones e adeus muitas aparelhagens Hi-Fi.

Sim, podem apontar que é devido ao USB que o som 7.1 é melhor descodificado, mas para o resultado mais ou menos conseguido neste campo, mais valia continuar com uma ficha 3,5mm.

Por outro lado, não entendo muito bem porque é que o bluetooth integrado só funciona para o controlo dos LEDs e não emparelha os Fusion 500 com equipamentos compatíveis como, por exemplo, smartphones. Isso seria ideal devido à falta da ligação 3,5mm.

Asus Fusion 500 cabo usb 2.0
Asus Fusion 500 cabo usb 2.0

Conclusão

Os Asus ROG Strix Fusion 500 são sofisticados, apelam ao jogador que há em nós e têm um comportamento dinâmico que se aplaude.

A qualidade de som é muito boa, o conforto de utilização extraordinário e a construção parece sólida para aguentar alguns anos de utilização.

Pena a troca de 3,5mm por USB e o bluetooth ficar a meio caminho.

Se não fosse isso, o preço seria muito convidativo e a Asus tinha nestes Fusion 500 uma proposta quase imbatível.

PVP: 200€

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Analista ao volante do novo Mercedes Classe A

Análises – reviews

Breves

Siga o Xá das 5, um blogue de João Gata